Quinta-feira , 27 Julho 2017
Ler também:
Ministro da Economia visita empresa de tapeçarias Desistart

Ministro da Economia visita empresa de tapeçarias Desistart

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, visita a empresa de tapeçarias Desistart, que há menos de meio ano transferiu a sua fábrica de São Félix da Marinha, em Vila Nova de Gaia, para Cortegaça, em Ovar (Rua da Gândara, n.º 425).

A visita permitirá àquele membro do Governo inteirar-se dos impactos positivos que está a ter o programa de investimentos, superior a 2 milhões de euros, que a empresa concluiu no fim do ano passado com recurso a fundos do Portugal 2020.

A Desistart dedica-se à produção de tapeçarias de luxo e conta com 20 anos de actividade, exportando mais de dois terços da produção. Os investimentos efectuados visaram, fundamentalmente, a modernização, expansão e apetrechamento técnico da sua unidade fabril, num projecto cofinanciado pelo Portugal 2020, através do Centro 2020 – Programa Operacional da Região Centro.

A empresa opera agora num pavilhão industrial com mais de 2.000 metros quadrados de superfície e pôde criar 12 postos de trabalho e novos centros de competências, passando a empregar 33 pessoas.

O programa de investimentos visa, igualmente, posicionar a Desistart no mercado global como produtora “premium” e alargar o espectro da sua presença comercial além-fronteiras, de forma a aumentar as exportações para 18 destinos e a vender no estrangeiro cerca de 90% da sua capacidade instalada, no final do próximo ano. Para tanto, a empresa, fundada pelo casal Rosa e Henrique Ferreira, tem incrementado as acções de promoção externa e passará a dispor, a partir do final do verão, de um delegado comercial em França e de um “corner” com os seus produtos num “showroom” profissional, em Paris, em que estarão representadas algumas das mais famosas marcas internacionais de soluções e equipamentos para casa e decoração.

Em 2016 ainda não se repercutiram os efeitos dos investimentos feitos ao longo do ano e a facturação da Desistart atingiu os 1,2 milhões de euros. Com a nova fábrica em velocidade de cruzeiro, porém, os responsáveis da empresa esperam chegar ao 2 milhões de euros em 2020.

Nestas duas décadas, a empresa destacou-se no mercado internacional pelos seus tapetes de produção manual (“hand-tufted”), sobretudo, mas agora, com três teares semi-automáticos novos para a produção de tapetes de nós manuais (“hand-knotted”), está a aumentar a oferta nos segmentos de maior prestígio e valor acrescentado.

Evidenciando a nova fase da operação, a Desistart fez recentemente uma parceria com a estilista Katty Xiomara. Da colaboração entre as duas partes resultou uma capa, tipo “capote de paseo” dos toureiros, confeccionada a partir de uma tapeçaria à base de viscose e lã, que faz parte da colecção outono/inverno 2017-2018 da criadora de moda portuguesa, já apresentada na Semana de Moda de Nova Iorque e na mais recente edição do Portugal Fashion, no Porto.

Deixe uma resposta