Sexta-feira , 20 Outubro 2017
Ler também:
Ministro da Saúde participa na apresentação do “Projecto HOSP”

Ministro da Saúde participa na apresentação do “Projecto HOSP”

No âmbito do processo da transformação digital, liderado pela SPMS, EPE, o Ministro da Saúde participou, esta quarta-feira, na apresentação do “Projecto HOSP- Hospital de Ovar sem Papel”, realizada no Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Ovar.

Através de videoconferência, e a partir de Lisboa, Adalberto Campos Fernandes apoiou este projecto-piloto, comprometendo-se a visitar a instituição até ao final do ano, altura em que o hospital pretende já ter eliminado totalmente o papel.

Na apresentação do projeto, o presidente do Conselho Directivo do Hospital Dr. Francisco Zagalo, Luís Miguel Ferreira, falou dos 10 mandamentos do SNS sem Papel e da estratégia que pretende seguir, começando por eliminar, todas as semanas, papéis desnecessários.

No decorrer da sessão, Henrique Martins, presidente do Conselho de Administração da SPMS, EPE, destacou os principais desafios da desmaterialização e indicou algumas das iniciativas que potencializam o SNS sem Papel, garantindo que a SPMS está empenhada em cumprir as metas que visam a eliminação do papel até 2020 nas instituições hospitalares.

O Hospital de Ovar é o primeiro a pôr em prática medidas tão ambiciosas e aceleradas para alcançar o objectivo de um SNS sem Papel. Mais de metade dos utentes do Hospital de Ovar já sai da instituição com receitas sem qualquer suporte em papel, apenas recebem SMS ou emails.

A 12 de outubro, o Hospital Dr. Francisco Zagalo já tinha ultrapassado 60% do total de Receitas Sem Papel totalmente desmaterializadas, ou seja, 100% sem papel, assumindo-se como o primeiro hospital do Serviço Nacional de Saúde a atingir um valor tão elevado.

Na senda da transformação digital, esta instituição apresentou publicamente, no passado dia 04 de outubro, o “Projeto HOSP- Hospital de Ovar sem Papel”, projeto-piloto que já apresenta resultados surpreendentes.

Implementando uma estratégia que abrange várias iniciativas de desmaterialização, o Hospital de Ovar pretende a eliminação total de papéis, afirmando-se como a primeira instituição hospitalar do país a pôr em prática medidas ambiciosas e aceleradas que visam alcançar o objetivo de um SNS sem Papel.

Para cumprir até 2020 em todas as instituições hospitalares do SNS, o objetivo de um SNS Sem Papel, definido pelo Ministério da Saúde, insere-se no processo de transformação digital, liderado pela SPMS, EPE. A total desmaterialização da Receita Sem Papel faz parte deste processo. (actualizada às 17h do dia 13 de Outubro de 2017)

Deixe uma resposta