CulturaSlider

Museu Júlio Dinis adere a Associação Portuguesa das Casas Museu

A casa-museu do médico e escritor Júlio Dinis (1839-1871), em Ovar, será a 13.ª associada da Associação Portuguesa das Casas Museu (APCM), sendo o protocolo de associação assinado hoje.

Em declarações à agência Lusa, Samantha Coleman-Aller, coordenadora do encontro, disse que “há pouca procura por parte dos portugueses pelas casas-museus, especialmente quando comparados com os europeus de uma forma geral, que visitam muito mais este tipo de espaços”.

Referindo-se ao encontro, que se realiza na Casa-Museu Medeiros e Almeida, a responsável afirmou que será “debatida a problemática da sinalética interna, tendo em conta a especificidade de cada casa-museu”.

“Cada casa-museu, mais do que mostrar uma coleção particular, conta uma história, e tem uma memória de uma personagem e de uma família”.

Coleman-Aller disse que, neste encontro, “será debatido a concretização de um roteiro nacional das casas-museus”, apresentado pela responsável como um instrumento de divulgação e “motivador de um maior interesse dos portugueses” por estes equipamentos culturais.

A APCM é constituída, atualmente, pelas casas-museu dos Patudos, em Alpiarça, Abel Salazar, em S. Mamede de Infesta, a Casa Museu Bissaya Barreto, em Coimbra, Eça de Queiroz, em Tormes, no concelho de Baião, Egas Moniz, em Avanca, Fernando Namora, em Condeixa-a-Nova, Guerra Junqueiro e Marta Ortigão Sampaio, ambas no Porto, João de Deus, em S. Bartolomeu de Messines, no Algarve, Passos Canavarro, em Santarém, Medeiros e Almeida, em Lisboa, e a Casa Oficina de António Carneiro, no Porto.

O primeiro encontro da APCM, na Casa dos Patudos, teve como tema ‘Comunicar Património’, e o segundo, em S. Mamede de Infesta, intitulou-se ‘Programação Cultural’.

“O intuito é que estes encontros sirvam para discutir temáticas comuns às Casas-Museu e partilhar experiências e opiniões”, rematou Samantha Coleman-Aller.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta