Sexta-feira , 20 Outubro 2017
Ler também:
Ovarural mudou de lugar e quer continuar a crescer (DA)

Ovarural mudou de lugar e quer continuar a crescer (DA)

A freguesia de Válega assistiu ontem à inauguração da Ovarural – Feira Agrícola e da Raça Marinhoa do Concelho de Ovar, que nesta quarta edição mudou de poiso. Nos terrenos onde tiveram lugar as anteriores edições ergue-se actualmente a obra de construção da Unidade de Saúde Familiar de Válega, pelo que a organização teve de encontrar um novo local.

Manuel Guerra, presidente da Cooperativa Agrícola de Concelho de Ovar, explicou que os terrenos onde se instalou, este ano, o certame pertencem à Santa Casa da Misericórdia de Ovar, esperando que, no futuro, se encontre uma solução “para alargar este espaço de divulgação da raça marinhoa”.

A essa situação, se referiria Manuel Santos Gomes, presidente da Confagri e da Proleite, considerando que a realização da feira “foi um acto de coragem”. “Nota-se que esta mudança de local obrigou a muito trabalho, empenho e dedicação de última hora para fazer deste o novo lugar da Ovarural”, observou. Manuel Santos Gomes lembrou que a feira só tem sido possível devido ao empenho da Câmara Municipal de Ovar, já que a Cooperativa Agrícola de Concelho de Ovar “não tem meios económicos nem humanos para a organizar”.

De qualquer maneira, solicitou a Salvador Malheiro para ir pensando em entrar em diálogo com a proprietária dos terrenos de modo a ser possível o alargamento da Ovarural no próximo ano. “Isso seria bom para o concelho,
para a cooperativa e para os munícipes”, sublinhou o também presidente da associação de produtores da raça marinhoa.

Jaime Almeida, presidente da Junta de Freguesia de Válega, reconheceu as dificuldades em colocar a feira em marcha, sublinhando a necessidade de alargamento do certame que pode passar pela “aquisição desta quinta”.
“O Ovarural assume um papel muito importante na estratégia de desenvolvimento do nosso Município”, respondeu o presidente da Câmara Municipal de Ovar, lembrando que “há quatro anos não hesitamos em avançar com a cooperativa para o ressurgimento da feira”.

O Edil registou com agrado a “incorporação da raça holstein-frísia, já que o concelho de Ovar é também produtor de leite e é importante colaborar com todos”, justificando que “o sector primário é muito importante no nosso concelho e acredito que esta feira vai conseguir crescer”, mas pensa que “as coisas têm que ser pensadas de forma coerente, passo a passo, nunca dando um passo maior do que a perna”.

Ler artigo completo in Diário de Aveiro.

Deixe uma resposta