Política

Pescadores da sardinha descontentes com limites de captura

A Federação dos Sindicatos do Sector da Pesca insiste que o limite de captura de sardinha devia subir até às 30 mil toneladas ainda este ano numa posição tornada pública dias depois da publicação, em Diário da República, de um despacho assinado por José Apolinário, o secretário de Estado das Pescas, que estipulou que, a partir de dia 1 de Agosto, próximo sábado, a frota do cerco pode capturar mais 6.405 toneladas de sardinha.

Os sindicalistas dizem, no entanto, que o despacho em causa “insiste na imposição de limites de captura de sardinha para o resto do ano de 2020, muito para além do que seria aceitável”, numa altura em que “o stock do recurso sardinha evidencia uma assinalável recuperação”.

“O Governo, ignorando todas as evidencias, incluindo os recentes dados dos cruzeiros científicos realizados, que confirmam o que os pescadores insistentemente têm afirmado quanto à abundância do recurso sardinha, e não tendo em conta os sacrifícios feitos pelos pescadores nos últimos anos, insiste numa política de limitação das capturas de sardinha, que desbarata recursos e põe em causa a sustentabilidade económica e social do sector”, acusa a federação.

A federação dos sindicatos do sector insiste que “as possibilidades de pesca da Sardinha, tendo em conta o estado actual do recurso e a sustentabilidade do mesmo, se deveriam situar, este ano de 2020, na ordem das 30 mil toneladas”.

“Se o recurso mostra uma evidência recuperação, já reconhecido por todas as entidades relacionadas, porque não pescar o máximo possível, sem prejudicar o recurso? Insistir numa inapropriada política de restrição das capturas é insistir na “asfixia” de quem, todos os dias, luta e arrisca a própria vida, para tentar trazer o seu salário ao fim da safra”, concluem os sindicalistas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta