EmpresasSlider

Redução da pesca da sardinha avança

Áreas de pesca entre o Furadouro e Lagos

 

A partir de 1 de agosto só haverá 3.100 toneladas para pescar e cinco áreas de “não pesca”, entre o Furadouro e Lagos.

Serão menos 1.755 toneladas de sardinha para pescar em 106 quilómetros de costa onde a pesca será proibida já a partir de 1 de agosto. É esta a proposta do Governo.

“O stock [de sardinha] continua a evoluir no bom sentido, e não existe razão para deixar de haver pesca. Quer Portugal quer Espanha se baterão contra essa hipótese e julgo que a razão está do nosso lado. Agora, eventualmente, teremos de reduzir a captura”, disse a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

A governante referiu que os estudos científicos dão conta “de um aumento da biomassa de sardinha, mas também revelaram uma diminuição dos juvenis”, sendo, por isso, “necessário tomar medidas”.

“Teremos de diminuir um pouco a quota de captura no próximo ano, mas, sobretudo, ter abordagens diferenciadas. Foram avistados juvenis em algumas zonas do País onde iremos implementar áreas marinhas protegidas provisórias, onde será proibida a captura, isto para poder proteger o desenvolvimento da espécie”, afirmou Ana Paula Vitorino.

A ministra do Mar considerou que nesta matéria “há que encontrar um ponto de equilíbrio”, de forma a defender a sustentabilidade biológica, mas também a vertente económica do sector.

“Temos de respeitar as necessidades de crescimento do ‘stock’ [de sardinha] para os próximos anos, mas temos também consciência da importância desta espécie para os pescadores, para a gastronomia e indústria conserveira. Vamos encontrar um ponto de equilíbrio”, reiterou.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta