LocalSlider

Salvador Malheiro diz que é “lastimável” o estado da linha férrea

O presidente da Câmara de Ovar, Salvador Malheiro, classifica como “lastimável” o estado da linha férrea, entre Ovar e Gaia, e queixa-se dos “sucessivos adiamentos das obras necessárias no pior troço da Linha do Norte.

“Há muito que verificamos o estado lastimável da nossa linha férrea e, sobretudo, o constante adiamento da intervenção do governo neste troço”, diz Salvador Malheiro, à RTP, numa reação ao relatório da Infraestruturas de Portugal, revelado esta terça-feira pelo jornal “Público”, que aponta o troço da Linha do Norte entre Ovar e Gaia como o pior e necessitado de intervenção urgente.

O autarca de Ovar reconhece a importância das ligações ferroviárias a Espanha, mas avisa o primeiro-ministro que não é essa a verdadeira prioridade: “Eu estou muito de acordo que se pense na ferrovia como uma prioridade nas ligações de Portugal ao exterior, mas temos primeiro que tratar da nossa casa.”

“Antes de pensarmos em projectos megalómanos, temos que olhar, designadamente, para a linha que liga o Porto a Lisboa”, argumenta o autarca do PSD, apontando, ainda, o aspecto da segurança: “Quantas pessoas mais terão que morrer neste troço para que, de facto, comecem as obras?”

Para Malheiro, o relatório da Infraestruturas de Portugal “deverá ser a ‘gota de água’ que leve o Governo a fazer o investimento”, porque “não é possível esperar mais”.

Lamentáveis são igualmente as condições postas à disposição dos utentes da estação da CP de Ovar. Agora, foram os táxistas que operam no local a instalar um relógio do “chinês” no local de um relógio digital que há muito deixou de dar horas e se encontra ao abandono à entrada da estação da CP de Ovar.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta