LocalSlider

S. Vicente de Pereira: Aquisição do património judaico atrasada

A Câmara Municipal ainda não concretizou a aquisição do património judaico secular que foi preservado por privados em S. Vicente de Pereira. Segundo adiantou o vereador Domingos Silva, o executivo já aprovou a proposta mas há agora um obstáculo incontornável que está a atrasar o processo. “Sucede que a propriedade pertence a um conjunto de herdeiros e um deles encontra-se doente e hospitalizado, sem possibilidade de assinar os documentos necessários”.

No estado em que se encontra, continua o autarca, “não pode assinar nem constituir procurador para concluir a escritura, pelo que temos de aguardar, na esperança de um desfecho positivo”.

O Município quer criar um centro interpretativo naquela propriedade rural que integra dois edifícios do século XIV e XVII, sendo que o mais antigo inclui um exemplar do armário que a comunidade israelita designa como “Aron Hakodesh” ou “Ekhal” e ao qual habitualmente se atribui carácter sagrado.

Esse estatuto deve-se ao facto de a peça se destinar especificamente a guardar a Tora, o manuscrito em pergaminho que replica os textos hebraicos na base do Judaísmo e que é utilizado em todas as celebrações litúrgicas dessa comunidade religiosa.

“Em Ovar já se sabia da existência destas construções e do próprio armário sagrado há muito tempo, mas até aqui nunca houve a coragem de avançar com um projecto que permitisse a sua recuperação e divulgação ao público”, declarou o presidente da autarquia, Salvador Malheiro.

Na compra do edificado e do seu mobiliário especial a Câmara Municipal vai investir 125 mil euros, com o que o autarca pretende “recuperar um património que se encontra muito degradado, mas que é único no concelho”. Dada a antiguidade e o valor histórico-cultural dos bens a adquirir, Ovar quer passar a integrar a Rota da Judiaria, atraindo ao concelho um novo segmento de turistas portugueses e estrangeiros, e “contribuindo assim para o desenvolvimento económico local.

O edifício que acolhe o Aron Hakodesh – neste caso um armário em pedra embutido na parede – está localizado nas proximidades do Largo da Capela de S. Geraldo, na freguesia de S. Vicente Pereira, e é um exemplar da arquitectura vernacular quinhentista. Tem disposição em “L”, abrange uma área para habitação e destina outra a funções agrárias, pelo que inclui também uma atafona e um moinho de água.

Já a construção mais recente, localizada na zona poente da propriedade, estará menos relacionada com a cultura judaica, mas ainda preserva sinais do antigo quarto e biblioteca do pároco católico e juiz Domingos Oliveira Martins (1890-1951) – que deixou o imóvel em herança ao seu sobrinho, o também padre António da Silva Martins.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta