CarnavalSlider

Squel Jorgea: “Sou uma Porta-Bandeira que defende a tradição”

Porta-Bandeira da Estação Primeira da Mangueira,campeã do Carnaval do Rio

[themoneytizer id=”16574-1″]

A Porta-Bandeira campeã do Carnaval do Rio de Janeiro, no Brasil, esteve em Estarreja, para ser formadora do “Samba Com Vida”, um evento organizado pela Escola de Samba Trepa Coqueiro.

Squel Jorgea já tinha estado na região, na primeira edição da iniciativa, em 2018, e regressou este ano ostentando o título de Estandarte de Ouro de Melhor Porta-Bandeira do Carnaval do Rio. Sempre muito simpática e afável, Squel Jorgea, concedeu-nos uma entrevista:

Como se sente por estar de volta?
Estou muito feliz por me poder reencontrar com a população que me recebeu o ano passado tão bem e com tanto carinho. É uma honra poder estar aqui de novo após um ano muito bom, depois de um desfile tão feliz para a Estação Primeira da Mangueira. Depois, também a Trepa Coqueiro de Estarreja teve um ano de muito sucesso, é uma alegria poder participar de alguma forma nesta vitória. Mesmo estando distante, fiquei muito feliz.

Este ano é a Madrinha do “Samba com Vida”. O que significa para si?
Saí do “Samba Com Vida” de 2018 com esse convite, muito feliz. Poder estar aqui com os meus amigos, nesta nova fase do evento, que cresceu muito desde o ano passado e está entrando numa fase de grande produção, é uma grande honra para mim.

Como foi a vitória da Mangueira no Rio de Janeiro?
A estação primeira de Mangueira ganhou em 2016, esse foi o meu primeiro título no Rio de Janeiro. Agora chegou o segundo para nos encher de felicidade. Ainda estamos extasiados mas, acima de tudo, muito contentes com a consciência do trabalho que fizemos ao longo deste ano que foi coroado com este mega sucesso de ser campeã no Rio.

Qual é o estilo que ensina no “workshop” de Porta-Bandeira?
Eu espero conseguir transmitir um conhecimento e um estilo de Porta-Bandeira que possa perdurar e seja do agrado de todas. Eu sou muito da defesa da tradição e é aí que eu alinho, é esse o meu estilo. Por isso, tento manter esse espírito vivo nas meninas. É, por isso mesmo, uma grande responsabilidade.

Desta visitas a Portugal, o que mais a impressiona?
A troca de culturas e de conhecimento é o que predomina e é isso que me traz aqui.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta