CulturaSlider

Prémio espanhol de circo encerrou festival no Furadouro

[themoneytizer id=”16574-1″]

Quatro personagens encontram-se no meio do nada. Condenados a entender-se, transformam um espaço hostil num lugar de convivência. Estes quatro personagens vivem um processo através do circo. O movimento, através de acrobacias, teatro gestual e dança, são o meio e a linguagem para essa amizade acontecer.

Em constante diálogo com o cenário e o espaço cénico, os personagens interagem com os diferentes elementos oferecidos pelo ambiente. Em breve, passarão da desconfiança à cumplicidade absoluta patente nas acrobacias mais ousadas, sempre com o humor como fio condutor, num espectáculo frenético e cheio de acção.

Aliás, este espectáculo ganhou o Prémio Nacional de Circo, em Espanha, em 2016, demonstrando que a “Vaivén” é, provavelmente, a companhia que melhor explica a actual ascensão do circo de “nuestros hermanos”.

Ao Festival de Circo do Furadouro, que terminou na passada segunda-feira, levaram dois dos seus espectáculos: “Do Not Disturb (2012)” e “Des-Hábitat”, número que os consolidou como um dos colectivos mais importantes da Europa, após mais de 300 apresentações (e continua em digressão pela Europa).

Foram dois dias repletos de espectáculos por companhias oriundas de Brasil, Argentina, Venezuela, Portugal e Espanha, sempre com imensa gente a assistir. Bruno Oliveira, presidente da entidade organizadora, a União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira, diz, em jeito de balanço, que a quinta edição do certame contou “com espectáculos de grande qualidade” e “foi um sucesso quer a esse nível, quer pela participação de público, pois  os espectáculos contaram sempre com uma excelente moldura humana”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta