CulturaSlider

Uma homenagem à cadeira nos 100 anos da ADICO

Se em 2016, o Município de Estarreja apresentou o ESTAU como um evento que pretendia colocar a Arte e em específico a Arte criada em espaço público, em diálogo com o património histórico, arquitetónico, linguístico, documental, natural, etnográfico e social deste território; podemos hoje confirmar a singularidade desta atuação.

Ano após ano, artistas das mais diversas disciplinas, são desafiados a olharem e trabalharem sobre este conjunto de bens identitários e os corporizarem em novos valores de memória e de exemplaridade, através de distintas reflexões conceptuais, estéticas, plásticas e visuais.

É à luz desta orientação curatorial desenhada pela Mistaker Maker, e com a criação de uma obra de arte pública em homenagem à “cadeira portuguesa”, nascida na década de 30 em Estarreja, mais especificamente em Avanca, que se celebram os 100 anos da ADICO, naquele “que nos pareceu ser o momento preciso para a Arte nos auxiliar a contar a história por detrás desta reconhecida peça de design e a (re)definir geograficamente e para todo o sempre a sua génese”, segundo palavras da curadora Lara Seixo Rodrigues.

“Círculo Azul” é nas palavras do autor: “constitui-se como um novo espaço público no verdejante Parque Municipal de Antuã. Constrói-se como um pavilhão rendilhado na paisagem, a partir da reinterpretação da tradicional cadeira portuguesa 5008. Atribuindo-lhe um lugar de destaque, pela sua elevação no território, a intervenção artística trabalha a desmaterialização da cadeira pela sua repetição a partir de 40 unidades geometricamente posicionadas e manipuladas para permitirem uma vista privilegiada sobre a envolvente.”

“Círculo Azul” cumpre exemplarmente o objectivo inicial de um tributo artístico à cadeira portuguesa, mas vai muito além. Constitui-se como um novo equipamento para usufruto da comunidade, como um novo lugar de partilha e de convívio, de intimidade e proximidade para novos diálogos, exultando desta forma singular, a função e razão de existência da peça homenageada.

Neste processo, a centenária ADICO assumiu-se desde o primeiro momento como parceira e responsável na construção da obra criada e assinado pelo Diogo Aguiar Studio, comprovando o percurso pautado pelo arrojo, pela inovação e pelo sucesso”. O mesmo percurso “do qual resultou um dos principais ícones da portugalidade – a Cadeira Portuguesa -.

Um objecto que é hoje uma referência incontornável no design português, mas que é cada vez mais uma referência no mundo”, segundo palavras dos representantes Adelina Dias Costa, sobrinha neta do fundador, e de Miguel Carvalho, administrador da empresa.

“Com esta homenagem, o Município de Estarreja pretende valorizar o nosso património industrial, afirmando no mundo que a Cadeira Portuguesa é uma Marca ADICO”, reitera Diamantino Sabina, presidente da Câmara Municipal de Estarreja, acrescentando que ““Círculo Azul”, que agora se acrescenta ao roteiro de arte urbana de Estarreja – ESTAU e tal como outras peças deste museu a céu aberto, que evocam a nossa História local, não a fazendo esquecer e, sobretudo, valorizando-a, irá contribuir inegavelmente para a consolidação da internacionalização do nosso roteiro de arte urbana.”

Esta acção surge no âmbito da candidatura “Descobrir e Experienciar novos territórios Estarreja/Aveiro/Covilhã”, liderada pelo Município de Estarreja, à Programação Cultural em Rede financiada a 100% pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020.

A inauguração da obra de arte pública “Círculo Azul”, da autoria de Diogo Aguiar Studio, decorreu ontem, no Parque Municipal de Antuã, em Estarreja, numa homenagem à Cadeira Portuguesa, da centenária Adico.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Leia também

Close