LocalSlider

600 mil euros para 98 instituições sociais e culturais

O Município de Ovar distribuiu mais de 600.000 euros por 98 instituições locais naquilo que o presidente da autarquia diz ser um reconhecimento da actividade social, cultural e recreativa desenvolvida no terreno por esses “braços armados” da câmara.
Em causa estão protocolos de colaboração que reservam cerca de 250.000 euros para 33 instituições particulares de solidariedade social e mais de 350.000 para 65 colectividades culturais e recreativas.
“Estes apoios são atribuídos em reconhecimento do mérito das nossas instituições, que, no fundo, são braços armados da própria Câmara, graças ao trabalho que realizam no terreno, no dia-a-dia da comunidade”, declarou à Lusa o presidente da autarquia, Salvador Malheiro.

“As nossas associações de âmbito social têm desenvolvido uma actividade excepcional para tentar fazer face aos problemas das pessoas mais vulneráveis e muito do sucesso que Ovar vem obtendo em termos de dinamização cultural também se deve às colectividades locais que actuam nessa área”, explicou o autarca.
No caso dos 33 protocolos relativos ao sector social, os valores a distribuir pela Câmara em 2016 situam-se entre os 500 e os 37.344 euros.
No extremo mais modesto da lista incluem-se os apoios à Associação Mutualista dos Vendedores de Cortegaça e à Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Cortegaça. Já no extremo mais generoso, estão previstos 15.497 euros para o Grupo de Acção Social de S. Vicente de Pereira, 17.250 para a Santa Casa da Misericórdia de Ovar, 20.030 para o Centro Comunitário de Esmoriz e, no topo da tabela, 37.244 para o Centro Social e Paroquial de S. João de Ovar.

Ainda no domínio social, Salvador Malheiro realçou que a Câmara tem vindo a incentivar as organizações locais a candidatarem-se ao Programa Inovação Social. “Como o nosso país foi pioneiro na União Europeia ao canalizar uma parcela importante de fundos estruturais do ciclo 2014-2020 para a promoção da inovação social, queremos as nossas associações e coletividades na linha da frente, porque esta é uma oportunidade a não desperdiçar”, afirmou.
Já no que se refere às 65 colectividades vareiras de índole cultural e recreativo, os protocolos assinados com a autarquia compreendem valores entre os 360 euros do Grupo Coral Laudamus e os 30.762 da associação Danças e Cantares de S. Pedro de Maceda – embora a maioria dos beneficiados se fique por apoios de 1.000 a 3.000 euros.
Na lista dos subsídios de montante mais elevado inclui-se também o de 20.475 euros para o colectivo teatral Contacto, o de 19.444 para a Irmandade do Nosso Senhor dos Passos e o de 13.414 para o grupo teatral Renascer.
Qualquer que seja o sector de actividade das instituições beneficiadas, Salvador Malheiro garante, contudo, que os critérios de atribuição dos respectivos apoios “estão muito bem definidos em regulamento próprio e obedecem a regras rigorosas”. Na equação influi, por exemplo, o número de utentes servido pelo organismo candidato e também a quantidade de iniciativas que esse desenvolve ao longo do ano.

Foi com base nessa avaliação que, depois de em 2015 apoiar 87 instituições com um total de 521.000 euros, a Câmara de Ovar passou este ano a ajudar 98, com os já referidos 600.000 euros.
“Este crescimento representa um aumento muito grande em relação ao mandato anterior, mas, se há dinheiro do erário público que seja bem empregue, é este, que incentiva ainda mais a dinâmica e o espírito de iniciativa das nossas colectividades”, conclui Salvador Malheiro.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo