Opinião

90.º aniversário da AH Bombeiros Voluntários de Esmoriz – Eng. Fernando Cardoso

Confirmada a anexação de Esmoriz, Cortegaça e Maceda ao concelho de Ovar por decreto de D.Luís I, em 2 de maio e 21 de junho de 1879.
Até 1855 a Costa de Espinho pertencia à freguesia de Ovar, passando por Decreto de 24 de outubro desse ano a fazer parte da freguesia de Anta, Concelho da Feira. Em 23 de maio de 1889 foi criada a Paróquia de Espinho, tendo o decreto-lei de 30 de dezembro de 1890, publicado no diário do Governo de 5 de janeiro de 1891, determinado a criação da freguesia civil. A criação do novo concelho, com uma única freguesia, surgiu dez anos depois, em 1899, com o decreto-lei de 17 de agosto, que concretizou as pretensões da população.
Em 11 de outubro de 1926, e por força do Decreto-Lei n.º 12437 de 1 de outubro de 1926, publicado pelo Governo Provisório chefiado pelo general Óscar Carmona, concretizou-se o alargamento do concelho às freguesias de ESMORIZ, Anta, Guetim, Paramos, Silvalde, Oleiros e Nogueira da Regedoura, processo que decorreu de uma consequência natural da dinâmica da vila e do seu desenvolvimento turístico e económico como unidade administrativa comum, sendo promovido à categoria de concelho de “segunda classe”.
Em 10 de outubro de 1926 Espinho contacta a Junta de ESMORIZ para aqui estabelecer a Secção de ESMORIZ dos Bombeiros Voluntários de Espinho.
Em 14 de abril de 1928 o Decreto-Lei n.º 15395 desanexou as freguesias de ESMORIZ, Oleiros e Nogueira da Regedoura, fixando os atuais limites do concelho.
Tão efémera que foram os dois anos de anexação de ESMORIZ a Espinho que logo inundou os Esmorizenses de tristeza. Um desânimo tão grande que a acabou por corroer a vida incipiente da Secção tanto que já em 1930 não dava sinais de vida.
A Secção acabou por renascer das cinzas tendo valido para isso a generosidade e bairrismo de algumas pessoas que começaram desde logo a pensar na fundação daquela que viria a ser a Corporação de Bombeiros de Esmoriz.
A data associada à fundação da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz foi também envolvida em alguma incerteza histórica. Porém, na verdade, é a 26 de abril de 1931 que a Ata de Posse do Conselho Fiscal contém o registo da data da tomada de posse dos eleitos na Assembleia Geral e assim desta forma passou a ser considerada a oficial.
Após noventa voltas de Esmoriz em torno do sol eis-nos chegados a 2021.
A história desta Associação Humanitária corre em paralelo com a própria história da Cidade de Esmoriz e reflete o querer e a vontade da comunidade que ainda hoje servimos. Foram muitos aqueles que durante todos estes anos engrandeceram esta organização e nos deixaram todo um legado a nível do saber e do património.
Surgiram muitas dificuldades ao longo destes 90 anos que foram sendo ultrapassadas e superadas. Sete quartéis foram sendo inaugurados ao longo destes anos todos, sendo que na atualidade ainda é propriedade da associação o antigo Quartel das Quintãs, no terreno do Barreiro, sito no cruzamento da Rua dos Castanheiros com a EN109, inaugurado a 26 de maio de 1940 e o atual Quartel, situado na Avenida dos Correios em Esmoriz, este último inaugurado a 31 de outubro de 1993.
A registar ainda nos tempos mais recentes a construção do Complexo de Piscinas e Ginásio, inaugurado em 2008, e da Clínica, inaugurada a 1 de maio de 2011. No ano de 2019 foi inaugurada a obra de ampliação e melhoria do Edifício Sede/Quartel.
Acima de tudo, o mais importante a evidenciar em todos estes momentos de história são, sem dúvida nenhuma, todas as pessoas que por aqui passaram e que fizeram, desta casa, aquilo que é hoje, quer no contexto distrital quer no contexto nacional. Foram muitas as pessoas que ajudaram neste processo evolutivo: dirigentes, operacionais voluntários e profissionais, funcionários, pessoas e empresas beneméritas, associados e autarcas.
Temos uma história que nos enche de orgulho. Temos trabalhado afincadamente para a podermos partilhar com todos vós. Acreditamos que a interpretação do passado e da nossa história ajuda-nos a preparar o presente e a projetar o futuro.
A comunidade que servimos pode estar descansada pois sabem que podem contar sempre connosco.
Estamos todos de PARABÉNS pelo passado da associação, por aquilo que temos feito no presente e por tudo aquilo que pretendemos fazer no futuro.
O Presidente da Direção da AHBVE
Fernando Cardoso

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Leia também

Close