CulturaPrimeira Vista

A máquina que cerca o ódio e o força a render-se chegou a Ovar

O Centro de Arte de Ovar é a próxima paragem do projeto da Ondamarela “Esta Máquina Cerca o Ódio e Força-o a Render-se” onde, em conjunto com a comunidade local, se propõe abordar as questões do ódio, do preconceito, da diferença e da liberdade através de novas criações artísticas.

No próximo fim-de-semana, o CAO apresenta um conjunto de atividades que decorrem de vários encontros entre artistas e diferentes comunidades locais, como a Cerciesta Estarreja ou o Agitana-te. Uma oficina de criação, duas performances e uma conversa, vão dar corda a esta máquina, que encontra na arte o combustível para desmontar e subverter ideias e sistemas.

A inspiração para este projeto vem do cantor e ativista norte americano Pete Seeger que, em 1969, inscreveu no seu banjo o lema que dá título ao projeto. Numa altura em que está clara a importância dos valores democráticos para a paz e para o bem comum, a arte e a cultura reafirmam a sua vocação cívica e o seu papel fundamental para a compreensão mútua e o capitular do ódio.

As músicas Ana Bento e Sara Yasmine, o encenador e ator Marco Paiva, a jornalista Catarina Neves e a consultora em comunicação e gestão cultural Maria Vlachou, são alguns dos nomes que fazem parte deste ciclo de programação em Ovar.

Programa:
25 de Março
Esta Oficina Cerca o Ódio e Força-o a Render-se
Cerciesta Estarreja
Observar, pensar, debater: agir!
Nesta oficina atirámo-nos à luta contra o ódio com unhas e dentes, com sorrisos e
música, com poesia.

Orientação: Ricardo Baptista e Nuno Machado
26 de Março
21h30
Esta Performance Cerca o Ódio e Força-o a Render-se 
SUPER ORGANISMO
Organismos sinergeticamente interativos da mesma espécie encontram-se e formam o Super Organismo. Tocado a várias mãos e cantado a várias vozes, o Super Organismo tem uma propriedade específica emergente, uma missão urgente: ser uma máquina que cerca o ódio e o força a render-se. E sabido que é, que ódio jamais se extingue com ódio e que ódio só se extingue com uma força contrária… que força é essa que alimenta o motor do Super Organismo? Música, claro. Música que traz consigo inúmeras perguntas e algumas respostas; música que para além da realidade
vivida, manifesta sentimentos e desejos; que perante manifestações de ódio, ousa pensar a paz. E se…? Pois era… Antes fosse! Ou antes… como era doce! É que a vida quer-se mesmo é doce.
Direcção artística: Ana Bento e Sara Yasmine com a comunidade local (Agitana-te,
Cerciesta Estarreja e inscritos da open call)

27 de Fevereiro
11h00

Esta Oficina Cerca o Ódio e Força-o a Render-se
Famílias
Observar, pensar, debater: agir!
Nesta oficina atirámo-nos à luta contra o ódio com unhas e dentes, com sorrisos e música, com poesia.
Orientação: Ricardo Baptista e Nuno Machado

17h00
Este Par Cerca o Ódio e Força-o a Render-se 
Como é que hoje, dia 27 de Março de 2022, cercamos o ódio e obrigamo-lo a render-se? O que nos poderá fazer caminhar da utopia à concretização do desejo de sermos livres em tempos de cólera? Em que momento do Mundo os tempos não foram de conflito? Como encontrar o ponto de equilíbrio entre a lucidez da consciência plena da
nossa condição enquanto Humanidade e a crença num território colectivo que receba e reflicta a pluralidade de identidades e olhares sobre o que nos rodeia?
Na era da comunicação em que permanentemente vemos o lado de lá do planeta, escolhemos 4 peças jornalísticas para reflectir a partir dos dias hoje, o conceito de liberdade. Convocamos 4 pessoas do público a gravar ao vivo 4 momentos de pensamento e discussão, que num futuro próximo poderão servir para cercar o ódio e obrigá-lo a desistir de nos roubar os dias felizes.

Direção artística: Marco Paiva e Catarina Neves
18h00
Esta Conversa Cerca o Ódio e Força-o a Render-se 
No final deste ciclo da “Máquina”, pensamos juntos.
Nesta conversa, partilhamos histórias e processos de trabalho, mas também valores, princípios que nos orientam. A partir desta “Máquina que cerca o ódio e força-o a render-se” reflectiremos questões estruturantes deste programa, envolvendo artistas e participantes, educadores, público e profissionais da cultura e das artes.
Moderação: Maria Vlachou

A ondamarela encontra nas pessoas e nos lugares a inspiração para o desenvolvimento de projectos artísticos, sociais e educativos. Em actividade desde 2015, a empresa foi galardoada com o Prémio Acesso Cultura 2019 – Acesso Social e Intelectual.

ESTA MÁQUINA CERCA O ÓDIO E FORÇA-O A RENDER-SE 
é um projeto ondamarela (LOGO), co-produzido pelo CAO – Ovar e pelo CAE Sever
do Vouga e co-financiado pela Direção Geral das Artes. (LOGOS)

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo