CulturaSlider

“À Mesa Com Júlio Dinis” é um livro para ser ser saboreado lentamente

O Arrais de Mar da Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar, Ricardo Nunes, adianta o conceito da obra “À Mesa Com Júlio Dinis”, a lançar no próximo sábado, no Museu Júlio Dinis

Pode adiantar um pouco do que é o livro?
A obra “À Mesa Com Júlio Dinis” é um livro que é para ser servido à mesa, e ser saboreado lentamente.

Uma boa sugestão de prenda de Natal?
Não poderia ser de outra forma quando o livro homenageia um autor romântico como foi o romancista Júlio Dinis, que fazemos recorrendo aos apontamentos gastronómicos com que polvilhou a sua obra, e em particular a sua obra maior “As Pupilas do Senhor Reitor”, que o escritor escreveu em Ovar, numa das suas estadias pela então Vila, e aí colheu os ambientes e os tipos que deram vida aos cenários e às personagens da sua obra.

Quem são os autores?
É um livro escrito a várias mãos, mãos avisadas e que nos escrevem sobre história da alimentação, gastronomia, literatura e arte. É uma obra singela mas que pretende marcar um momento de homenagem a Júlio Dinis e a sua ligação umbilical a Ovar, na ocasião dos 175 anos do seu nascimento, bem como ser mote para expressões locais de turismo gastronómico, cultural e literário.

… e os ingredientes?
A obra mescla história, literatura, arte e gastronomia, tendo por base o levantamento de diversas referências gastronómicas presentes na obra de Júlio Dinis, “As Pupilas do Senhor Reitor”, e que resultaram ainda na reinterpretação de quinze receitas, que se encontram no livro e que pretendem prolongar esta homenagem a todos os sentidos, pois só a gastronomia tem o dom de envolver todos os nossos sentidos numa só tigela, num só prato, numa só garfada, por mais simples e singela que seja a iguaria que se deguste.

Esta é uma obra há muito anunciada?
Sendo Júlio Dinis o patrono da nossa Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar, era incontornável que lhe dedicássemos esta homenagem, e como escreveu Júlio Dinis: “a cozinha portuguesa é das melhores cozinhas do mundo”.

Marca o “regresso” da Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar?
Importa aqui lembrar que somos uma instituição sem fins lucrativos, e com uma organização interna em tudo similar a uma qualquer associação, que é composta por um conjunto de pessoas que reconhecem a importância e a validade do nosso trabalho. Mas como em qualquer colectividade com elementos diversos, e que certamente não poderão dar um contributo tão activo quanto gostariam, quer por motivos profissionais, familiares, ou outros, fazendo com que um grupo bem menor de associados tenha de assumir um papel mais presente, muitas vezes em prejuízo pessoal, mas como “quem corre por gosto não cansa”…

Vamos ter mais iniciativas da Confraria Gastronómica do Concelho onde Ovar?
O fluir da nossa actividade vai ao ritmo possível e não ao ritmo que desejamos, ou que outros desejariam, mas julgamos que para uma instituição com cerca de cinco anos de atividade, numa área em que quase tudo está por fazer, e onde o “trabalho invisível” (recolhas, entrevistas, registos) é a nossa prioridade, e reduzindo os nossos momentos de festa e convívio ao mínimo, pois não somos, como muitos acusam as Confrarias, “um grupo de amigos que se junta simplesmente para comer e beber”, nem o queremos ser. Contudo temos apoiado sempre que possível e solicitados, diversas iniciativas locais, estando abertos a desafios e parcerias com a comunidade, e também muito importante, mas pouco divulgado é o nosso trabalho fora do nosso concelho, de promoção do nosso território – campo, ria e mar, e da nossa riqueza gastronómica, tendo participado desde 2010 em mais de uma centena de eventos de promoção gastronómica e turística.

O surgimento de uma nova confraria em Ovar “espevitou-vos”?
Não podemos aceitar tal adjectivação, uma vez que como qualquer colectividade necessitamos de tempo para nos organizar e posicionar na comunidade, sempre na senda da concretização da nossa missão e objectivos, a par do “trabalho invisível” que desde sempre temos vindo a  realizar, definimos uma estratégia a longo prazo e que cuja preparação e implementação, para que seja sólida e credível, leva o seu tempo, e agora começam a surgir frutos desse trabalho, que por coincidência surgem no momento em uma nova confraria nasce em Ovar, e que vemos como uma aliada neste desígnio que é a luta pela defesa e promoção da nossa gastronomia, mas que em nada veio acelerar ou motivar animicamente o nosso trabalho, que aliás corre e correrá independentemente da existência ou não de outras confrarias ou associações, importa ainda referir que em alguns casos vieram obrigar-nos a redefinir alguns projetos que já estavam em curso, e que envolvem também o pão de ló de Ovar, e que não deixaremos de realizar, mas que tiveram de ser ajustados, uma vez que existe em Ovar uma instituição que pretende promover exclusivamente esse produto gastronómico de excelência, e ex-líbris da nossa cidade de Ovar.

(Fotos: Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo