Publicidade
LocalPrimeira Vista

“Abate de pinheiros não tem objectivos imobiliários” – Salvador Malheiro

“Não está previsto qualquer abate massivo com objectivos imobiliários ou outros”, garantiu esta tarde, o presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro.

O autarca promoveu esta tarde, uma conferência de imprensa na qual tomou parte o vogal do Conselho de Administração do ICNF, Nuno Sequeira, no sentido de esclarecer as questões e dúvidas em torno do Plano de Gestão Florestal (PGF) do Perímetro Florestal das Dunas de Ovar.

Por isso, “em 2016, declaramos a nossa concordância com o plano de gestão apresentado. Naquela altura, não houve qualquer contestação e vai continuar a haver floresta”, acrescentou.

publicidade

O edil acusou os movimentos de falta de conhecimento e lembrou que “o plano mereceu a nossa aprovação em 2016, porque prevê o controlo de plantas invasores, gestão de combustível, enquadramento paisagístico, manutenção da rede viária, ordenação das acessibilidades, actividades de recreio e laser”.

A área de corte de pinhal adulto é de 247 hectares, “cortes idênticos a este e reflorestação têm acontecido no passado com frequência, com idade mínima de corte de 61 anos e máxima de 80, próximas do fim do seu ciclo de vida.”, informou Nuno Sequeira. O técnico do ICNF acrescentou que não haverá cortes “numa faixa de 500 metros a contar da costa”.

O vogal do ICNF defendeu a reflorestação espontânea, já que aquela mata “é constituída por pinheiros robustos e vigorosos, faz parte do catálogo nacional para recolha de sementes”, razão pela qual não faria sentido “importar árvores”. Foi o que aconteceu numa parcela da área de Cortegaça, em 2012, e onde, de acordo com o presidente da junta de freguesia, Sérgio Vicente, os pinheiros já atingem, neste momento, “entre 2,5 a 3 metros de altura”

Henrique Araújo, dirigente do Movimento 2030, já lamentou que a Câmara Municipal não tenha considerado os mais de 18 mil assinantes da Petição Pública que visa parar com o abate da floresta na área florestal das Dunas de Ovar e anunciou que vai solicitar uma audiência ao Ministro do Ambiente, a fim de o sensibilizar para o desastre ecológico que “está iminente de acontecer no nosso Município”.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo