CarnavalSlider

Abertura do Carnaval 2016 com novo espectáculo de Tim Steiner – inscrições abertas

O Carnaval de Ovar 2016 encontra-se em preparação, sendo já certo um novo espectáculo do maestro inglês Tim Steiner com o envolvimento da comunidade, que terá como ponto de partida um trabalho de reinterpretação do universo das máscaras e gigantones, visando apresentar uma obra artística única e irrepetível. As inscrições estão abertas até 29 de outubro.

Depois do sucesso da abertura do Carnaval deste ano, Tim Steiner foi novamente convidado a criar um espectáculo de raiz com todas as pessoas que se queiram associar para a Abertura Oficial do Carnaval de Ovar 2016, que terá lugar a 16 de janeiro de 2016.

Seguindo o desafio lançado pela Câmara Municipal de Ovar, este projecto terá como ponto de partida um trabalho de reinterpretação do universo das máscaras e gigantones a ser realizado ao longo dos próximos meses.

O que se propõe é continuar o trabalho iniciado com a comunidade em novembro de 2015, compor, ensaiar e apresentar uma performance criada especificamente para a cidade de Ovar pelo compositor Tim Steiner, em colaboração com estas comunidades da cidade.

“Procura-se, com esta proposta, abordar a cidade, a sua população e os seus grupos carnavalescos com uma manifestação artística diferente e original mas com base nas especificidades de Ovar e do seu Carnaval”, diz nota da Edilidade, acrescentando que “a performance partirá assim do trabalho com a comunidade, em articulação com o trabalho a partir das máscaras e gigantones, será acerca da cidade e terá como protagonistas as próprias comunidades envolvidas”.

Para além disso, pretende-se desenvolver um trabalho de inclusão e incentivo à participação cultural, artística e cívica da comunidade ovarense; desenvolver uma identidade musical sentida pelos participantes como autêntica; promover a relação entre diferentes actores da tradição carnavalesca, reforçando as dinâmicas musicais específicas e as potencialidades artísticas e sociais destes grupos; apresentar uma obra artística única e irrepetível, que distinga a cidade no que diz respeito à abordagem criativa aos desafios económicos, turísticos, culturais e sociais atuais; que permita uma leitura clara, simples e inteligível do material artístico apresentado.

Para este espectáculo propõe-se a criação de dois grupos de trabalho: Grupo 1 – Percussões e Grupo 2 – Vozes, e os ensaios decorrerão a 30 de Outubro e 23 de Novembro e, de 11 a 16 de Janeiro, decorrerão ensaios parciais e coletivos com todos os inscritos.

Este projecto dirige-se a todos, maiores de 18 anos ou menores de 18 anos acompanhados do encarregados, independentemente da sua formação musical, e as inscrições decorrem durante o mês de outubro e os interessados deverão enviar um email, com o nome, idade, contacto e o grupo em que se pretendem inscrever para o email [email protected]

Equipa
Tim Steiner

É um compositor e maestro especializado em criação e performance colaborativa. Licenciado em Música na Universidade de Sussex em 1987 e PhD em “collaborative composition and improvisation” na City University in 1992. Tem dirigido centenas de projetos criativos em toda a Europa, em todos os contextos musicais e sociais. O trabalho recente inclui a composição e direção de Hunter Gather, um trabalho para 3 orquestras apresentado pela BBC concert orchestra com orquestras amadoras, como parte do projecto Music Nation. É maestro da Stopestra, diretor artístico do Connected to Music e foi o diretor criativo dos eventos da BBC Over the Rainbow, I’d Do Anything e Play it Again. Compôs e dirigiu SCORE! e Hear and Now. Compôs e dirigiu a abertura dos Special Olympics de 2009 e a Operação Big Bang para Guimarães2012, Capital Europeia da Cultura. Dirigiu também espetáculos com comunidades em Guimarães e em Espinho, no âmbito do Festival do Norte – 2013. Desenvolve no momento projetos na Casa Da Musica e na Guildhall School of Music and Drama em Londres. Tem trabalhado como animador de workshops e formador com a The Royal Philharmonic Orchestra, Philharmonia Orchestra e BBC singers, e coordenou trabalho para as London Chamber Orchestra, BBC Symphony Orchestra, , Bergen Philharmonic, Viva Det Norske blåseensemble e a Stavanger Symphony Orchestra, entre muitas outras. Dirige o Quartet Electronische e a StopEstra.

Ricardo Baptista

Músico e professor de educação musical, cofundador e coordenador do ProjectArte – plataforma de dinamização cultural do Ag. Vert. de Escolas Dr. Leonardo Coimbra (filho), no Porto. Professor na Academia de Música de Vilar do Paraíso e no Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto. Foi docente no Instituto Superior de Ciências Educativas de Felgueiras. Fez o II Curso de Formação de Animadores Musicais do Serviço Educativo da Casa da Música. Formador/Facilitador em diversos projetos do serviço educativo da Casa da Música: “Ritmos do Mundo”, “Orquestra do Dia – Dia Mundial da Música”, “Sonópolis”, “Orquestra de Famílias Reais”. Co-formador e co-diretor artístico e pedagógico do curso de formação/espetáculo “Vinte mil músicas submarinas” – Casa da Música – Março a Junho de 2012. Líder de naipe da “Stopestra”. Concebeu e dinamizou o “workshop de exploração musical” na École de Musique de la Ville d’Echternach, no Luxemburgo, em 2010 e 2013. Concebeu e coordenou o projeto “GuimarãesPlay” da Guimarães2012 – Capital Europeia da Cultura. Coordenou e concebeu os projetos “Concerto da Comunidade” – Noite Branca de Braga, 2013, “Real Orquestra da Grande Malha Ortogonal de Espinho”, “Orquestra da Bida Airada” Ílhavo,2014 e 2015, “Abertura do Carnaval de Ovar” – 2015, “Orquestra Fervença” – Bragança e “Outros Cantos” – Braga, 2015. Coordenou a equipa de investigação e monitorização do Festival do Norte 2013, para o Turismo do Porto e Norte de Portugal. Foi artista convidado no WestWayLab – Guimarães, trabalhando com Unnsteinn Stefánsson e Sveinbjörn Thorarensen. Desenvolveu, com Glen Calleja, a performance musical que acompanhou o projeto “Smoke Signals”, Guimarães, 2014. Integrou o elenco do espetáculo “A Primeira Viagem ao Espaço” – Casa da Música, 2014.

Joana Araújo

Licenciada em Teoria e Formação Musical pela Universidade de Aveiro. Professora de teoria e formação musical e de direção artística de projetos musicais vocais durante 9 anos no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, nomeadamente Arquivo; Once upon a time; Beauty and the Beast de Alan Menken; Lugar nenhum, A little night music de Stephen Soundheim, Soap Opera. Fez o II Curso de Formação de Animadores Musicais do Serviço Educativo da Casa da Música, onde continuou, posteriormente, a participar como membro ativo do fator E. Participou como diretora artística, formadora, co-autora e cantora nos projetos, em Portugal: Guguigagugoooong; Histórias Suspensas; Abracadabra, Palmo e Meio, Bebezoológico, à volta dos 4, Pára Escuta e Canta, Workshop de música tradicional portuguesa, Coro do dia, Ao alcance de todos, Casa sobre rodas, Onde está o Som?, Coro de S. Tomé, Sonópolis, Daqui a Dili (2011) e Viagem de um Sonhador Solitário, Concerto da Comunidade, Outros Cantos. Em Londres: Discover Dudamel, Co-leader de um Workshop sobre criatividade de improvisação, com Jovens músicos da Orquestra Filarmónica Juvenil de Los Angeles (YOLA); Formadora do Departamento educativo da Orquestra; St Mungos: Projeto musical com uma comunidade de pessoas sem-abrigo; Arbor Project: Projeto musical de intervenção social com uma comunidade de mulheres de diferentes etnias. Mestrado em musicLeadership na Guildhall School of Music and Drama de Londres.

António Serginho

Estudou na Escola Profissional de Música de Espinho e frequentou a Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo, no Porto, com o professor Miquel Bernat. Como músico multi-instrumentista, arranjador, ator, orientador de workshops, compositor ou como diretor musical participou em bandas, espetáculos e gravações, dos quais se destacam: Zelig, Foge Foge Bandido, Sérgio Godinho, Deolinda, Dead Combo, “Ubus”, “Beiras” e “Tambores na Noite” – TNSJ, Teatro do Frio e Radar 360o, “Desafinado” – Paulo Ribeiro/Dançando com a Diferença, “Bombos com e para todos” – Braga – Capital Europeia da Juventude 2012, “Tecelões de Histórias” – Teatro Viriato. Como membro do Drumming, participou nas gravações e nos concertos do disco “Unreal: Sidewalk Cartoon” de Bernardo Sassetti, entre muitos outros espetáculos em Portugal e no estrangeiro. Atualmente coordena o grupo de percussão portuguesa Retimbrar, com o qual tem participado em diversos festivais em Portugal e no estrangeiro e coordenado vários projetos com grupos tradicionais de folclore. Fez o IV Curso de Animadores Musicais na Casa da Música e é colaborador frequente desta instituição (“Grotox”, “Sonópolis 2009”, “Sonópolis 2010”, “Dia Mundial da Música 2010”, “Operação Stop!”, “O que é o Rock?”, “Oficina de Percussão Tradicional Portuguesa”, “Quase Nada”). Em Guimarães2012 Capital Europeia da Cultura, liderou o projeto Bus/ShoppingPlay, e participou no espetáculo “Ópera de Todos”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta