CarnavalSlider

Abertura do Carnaval convida Tim Steiner para dirigir performance colaborativa

O maestro britânico Tim Steiner é o convidado para preparar e dirigir uma performance musical na cerimónia da Abertura do Carnaval de Ovar, no dia 10 de Janeiro de 2015.

A ideia passa por compor, ensaiar e apresentar uma música criada especificamente para a cidade de Ovar, em colaboração estreita com as várias comunidades locais, musicais e outras.

O objectivo é abordar a cidade, a sua população e os seus grupos carnavalescos com uma manifestação artística diferente e original, mas com base nas especificidades de Ovar e no seu Carnaval. A performance partirá, assim, do trabalho com a comunidade, será acerca da cidade e terá como protagonistas as próprias comunidades envolvidas.

Fátima Alçada explica que “este espectáculo será feito com pessoas da comunidade e não é condição pertencer a qualquer associação, seja ela de Carnaval ou não”.

Na reunião prévia mantida com os grupos, a motivação foi “tentar envolvê-los em primeira mão, até porque estamos a falar de um espectáculo que terá como fundo o Carnaval de Ovar e será para celebrar a abertura oficial das festividades”. De resto, continua a programadora do Centro de Arte de Ovar, “o ideal seria termos pessoas que têm uma relação directa com o Carnaval e outras que não têm nenhuma relação”.

Compositor vocacionado para as performances colaborativas, Tim Steiner dirigiu centenas de projectos criativos pela Europa e trabalhou em praticamente todos os contextos musicais e sociais imagináveis, com profissionais, amadores e iniciantes.

Compôs e dirigiu recentemente Hunter Gather, uma obra para 3 orquestras interpretada pela BBC Concert Orchestra com orquestras amadoras de Devon e Cornwall. É o maestro da Stopestra, banda de rock de 100 elementos criada na Casa da Música, director artístico do programa Connected to Music e foi director criativo dos espectáculos da BBC Over the Rainbow, I’d Do Anything e Play it Again. Compôs e dirigiu a fanfarra de abertura dos Jogos Paralímpicos 2009 e dirigiu a Operação Big Bang para Guimarães 2012, entre muitos outros projectos. Idealizou dezenas de concertos para famílias e escolas no Reino Unido e Noruega. Desenvolve colaborações regulares com o Serviço Educativo da Casa da Música, a Guildhall School of Music and Drama em Londres e numerosas instituições musicais.

Depois de se diplomar em Música na Sussex University, em 1987, Tim Steiner concluiu um doutoramento em composição e improvisação colaborativa na City University em 1992. Ensina na Guildhall School of Music and Drama desde 1994. Dirige o Quartet Electronische e é colaborador ocasional mas de longa data do colectivo artístico OMSK.

Além de Tim Steiner, a equipa de trabalho inclui Ricardo Baptista, Joana Araújo e António Serginho.

(Foto: Casa da Música do Porto)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo