DesportoSlider

Adeptos do FC Porto recordam Semedo

Neste fim de ano, a página do Facebook, Portomania, afecta ao FC Porto, recorda “um jogador muitas vezes injustiçado pela massa associativa do Porto mas que foi sempre um exemplo de profissionalismo e grande entrega ao clube onde conquistou tudo o que havia para conquistar”.

José Orlando Vinha da Rocha Semedo nasceu em Ovar em 5 de Março de 1965 e começou a dar os primeiros pontapés na bola a sério no Esmoriz passando depois pelo Feirense e chegando ao Porto aos 15 anos na época 1980/81.

Passou pelos juvenis, juniores (onde os seus treinadores lhe foram aprimorando os seus talentos ao mesmo tempo que ia sendo imbuído do estilo e do espírito do grande clube que o recebeu) tendo chegado à primeira equipa do clube na época 1983/84 pela mão do Mestre José Maria Pedroto.

Jogador de uma qualidade técnica acima da média, Semedo era, além disso, um jogador muito rápido movimentando-se de uma forma graciosa parecendo por vezes que pairava acima do terreno de jogo tendo ganho por isso a alcunha de “Gazela de Ovar”.
Mas Semedo era muito mais do que um jogador rápido e habilidoso.
Era um profissional de corpo inteiro, um jogador muito inteligente que podia jogar em qualquer posição do campo pois tinha uma característica que qualquer treinador gostava: era tacticamente fabuloso.

Talvez por isso, Semedo foi sempre um jogador que teve de “lutar” muitas vezes contra a própria massa associativa do Futebol Clube do Porto que o transformou no seu alvo preferido dos assobios.
Mas a verdade é que, depois de ganhar experiência, a partir da época 87/88 passa a ser opção regular para todos os técnicos que chegavam ao Porto e que, pese as críticas, maior parte das vezes injustas, dos adeptos, não abdicaram da sua presença fosse como defesa lateral, médio centro ou extremo e até como avançado.

Até à época de 1993/94, apesar de algumas lesões complicadas, Semedo foi sempre um jogador fundamental no plantel azul e branco com um comportamento anti-vedeta sempre pautado pela modéstia e profissionalismo.
Em 1994 sofre uma lesão grave que faz com que jogue muito pouco nas 2 épocas seguintes aparecendo envolvido num estranho caso de doping ainda hoje mal explicado.
Na época 1996/97, depois de 16 anos ao serviço do Porto, assina pelo vizinho Salgueiros onde permanece durante 3 épocas arrumando as chuteiras no fim da época 1998/99.
Durante a sua carreira no Futebol Clube do Porto conquistou 8 Campeonatos Nacionais, 4 Taças de Portugal, 7 Supertaças, 1 Taça dos Campeões, 1 Taça Intercontinental e 1 Supertaça Europeia (tendo alinhado no jogo da 2ª mão, nas Antas).
Vestiu por 21 vezes a camisola da Selecção Nacional tendo marcado 2 golos.

Semedo fez parte de grandes equipas do Porto nas décadas de 80 e 90 que, definitivamente, transformaram o clube naquilo que hoje existe: o clube mais ganhador de Portugal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta