CulturaPrimeira Vista

Afinal, a Pop é uma arte marcial

O gosto é algo subjectivo, mas talvez não o suficiente para negar que “Olhos de Cetim”, dos tugas Fumo Ninja, é uma das surpresas do ano.
O disco, editado pela Revolve, é uma prova de como a Pop também pode ser território de experimentação para daqui voar para outras atmosferas e inquietar almas nunca antes imaginadas.
Tudo obra de ninjas como Norberto Lobo (baixo) Leonor Arnaut (voz) Raquel Pimpão (teclas) e Ricardo Martins (bateria) – um grupo de quatro agentes secretos dedicados à exploração da pop por meios não ortodoxos.
O segundo dia do Ovar Expande foi um golpe no estômago, desferido na Escola de Artes e Ofícios, no Ovar Expande já um novo marco da programação cultural do município de Ovar, com bons predicados e argumentos para ser referência no circuito nacional.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo