LocalSlider

Agilizar a administração municipal é nova aposta do Executivo

“Agilizar a administração municipal, descomplicar os processos e ser mais célere nas respostas aos munícipes” será uma das apostas de Salvador Malheiro neste novo mandato autárquico.

Durante a cerimónia de instalação dos Órgãos do Município – Assembleia Municipal e Câmara Municipal – para o Mandato Autárquico 2017-2021, o reeleito Presidente da Câmara Municipal de Ovar manifestou-se disponível para “trabalhar com a ADRA, com a Polis – Ria de Aveiro, nos projectos da Barrinha e Ria, CCDR-C, com a Infra-Estruturas de Portugal e todas as entidades que interagem no nosso território”.

Neste sábado, ao final da manhã, o Salão Nobre dos Paços do Concelho encheu para assistir à tomada de posse dos 9 eleitos para o órgão executivo, dos deputados municipais eleitos directamente para o órgão deliberativo (Assembleia Municipal) e, por inerência de funções, os primeiros eleitos para as Assembleias de Freguesia, na sequência dos resultados das eleições autárquicas realizadas no passado dia 1 de outubro.

No seu discurso de tomada de posse, Salvador Malheiro recordou que “os desafios imediatos são enormes”, apontando “a negociação dos acordos de execução com as juntas, a entrada em funcionamento do Museu-Escola Oliveira Lopes, Casa da Junta de São João, Polo de Saúde de Maceda, USF de Válega, PEDU, que exigem concentração e energia para serem rentabilizados”.

Manifestou-se optimista de que “todos juntos, vamos ser capazes de congregar sinergias, recursos, estar à altura do legado das nossas gentes que enfrentaram o mar, a fome e o frio para chegarmos até aqui, num concelho moderno e  feliz”.

Mas a “alegria” que sentiu pelo reconhecimento expresso nas urnas foi esta semana “profundamente abalado pela catástrofe que devastou a nossa região centro”. Em nome do “povo vareiro”, Salvador Malheiro manifestou, “às família enlutadas, empresários e pessoas individuais que viveram o inferno, perderam bens e familiares, aos autarcas que têm as suas gentes e territórios devastadas, a mais profunda solidariedade e pesar pela tragédia que sobre eles se abateu”.

Aconteceu em Coimbra e Viseu, por exemplo, “mas podia ter acontecido no concelho de Ovar”, avisou, lembrando que “morreram mais de 100 pessoas, perdeu-se a floresta, o tecido económico e social está gravemente afectado e este é um problema que nos atinge a todos”.

O fundamental, defendeu o autarca, “é o que vai na alma de cada português e é assim que em Ovar queremos continuar a governar: a olhar para as pessoas e a ajudar a resolver os problemas dos que mais precisam e estão fragilizados”. “Construir o futuro do concelho de Ovar é a nossa missão e o desafio das nossas vidas”, reforçou, acrescentando que “temos que ser muito criterioso na escolha dos recursos escolhidos e evitar as falhas, pois não somos perfeitos”.

Consciente de que o executivo ovarense representa mais de 55 mil pessoas, Salvador Malheiro lembrou que Ovar é segundo município mais populoso da região de Aveiro e o quarto do distrito, por isso “temos de continuar a exigir o investimento público estratégico que todos ansiamos, seja em defesa da costa, acessibilidades ou saúde”.

O presidente da Assembleia Municipal reconduzido, Pedro Braga da Cruz,  homenageou a decana dos autarcas vareiros, Esmeralda Souto, e foi com “satisfação” que procedeu à instalação dos órgãos municipais, formulando votos de um excelente mandato em democracia para todos os eleitos.

(Fotos: CM Ovar)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Leia também

Close