CarnavalSlider

Aldeia do Carnaval na mira dos larápios

O Destacamento Territorial da GNR de Ovar está a investigar três assaltos ocorridos na Aldeia do Canaval de Ovar. O primeiro caso ocorreu pouco depois do Carnaval deste ano, na sede da Escola de Samba Charanguinha (embora a direcção da escola garanta que o assalto data de 2019).

O segurança de uma empresa localizada nas imediações viu uma carrinha branca a entrar na Aldeia do Carnaval, estacionar junto da “casa” da Charanguinha e arrancar pouco depois. Nesta altura, já a máquina de venda de tabaco seguia viagem e viria a aparecer, alguns dias depois, junto às Piscinas Municipais, praticamente destruída.

Algum tempo depois, outra escola recebeu a “visita” dos larápios. Na sede da escola de samba Kan-kans também foi a máquina de venda do tabaco o alvo que, desta vez, apareceu, estroncada e vazia, na Mata da Bicha.

Na madrugada do passado domingo, foi a sede do grupo carnavalesco Zuzucas o alvo dos gatunos. A porta foi estroncada mas, desta vez, os larápios não conseguiram entrar. “Mas não custa perceber que na mira deles estava de novo a máquina de tabaco que o grupo tem no interior”, explicou António Magina, do Serviço de Carnaval.

Em face do aumento deste tipo de casos e no sentido de prevenir, António Magina adianta que “temos aconselhado os grupos e escolas de samba para reforçarem a segurança das portas e estamos a ponderar a colocação de câmaras de vigilância”. Enquanto isso não acontece, a solução pode passar pelos grupos instalarem câmaras de vigilância no interior das “sedes”, de modo a registar as visitas indesejadas.

Em alternativa, sugere o responsável, “se deixarem de ter máquinas de tabaco, o risco de roubo e assalto deixa praticamente de existir”. É que, conclui António Magina, “os ladrões entram e apenas levam a máquina de tabaco, deixando tudo intacto no interior das sedes e onde não faltaria material de valor, mas eles querem apenas tabaco e dinheiro”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta