Publicidade
DesportoFutebol

Quando o futebol também contrata atletas norte-americanas

Tornou-se normal as equipas séniores de basquetebol da Ovarense contratarem jogadores norte-americanos para o seu plantel. E houve-os de grande qualidade, como o inesquecível Mario Ellie, por exemplo, que depois de se sagrar campeão pela Ovarense ainda regressou ao seu país natal para ser campeão da NBA.

No futebol, e ainda por cima feminino, é que é mais raro. Pois bem, habituem-se à ideia porque a Ovarense contratou duas jogadoras norte-americanas: Mary Reilly e Nissa Pereira.

Mary Reilly é uma avançada de 23 anos que conta com um currículo recheado de prémios a nível universitário tendo sido também nomeada para o Women’s All-American Team, e chega a Ovar para a sua primeira experiência europeia.

publicidade

Mary iniciou a sua carreira no UC San Diego (2015-18) e estava focada em iniciar uma carreira profissional no início deste ano, mas a pandemia de Covid-19 alterou-lhe os planos.

“Tinha tudo acertado para jogar em Seattle, no Seattle Stars F.C.”, lembrou Reilly, “mas quando a pandemia nos atingiu, a temporada de verão foi cancelada”.

Foi aí que surgiu “um treinador do meu antigo clube, Coronado Youth Soccer League, me disse que ia ocupar o cargo de director técnico na Ovarense e que tinha lugar para mais uma jogadora internacional!”

Reilly organizou-se para viajar para Portugal. Embora o planeamento da viagem tenha sido um desafio devido às restrições de viagens do Covid-19.

“Eu só ouvi coisas maravilhosas”, diz Reilly sobre o novo clube e país. “[A treinadora Kristin Jones] diz que é o seu lugar favorito no mundo”.

“Ovar é uma pequena cidade do litoral e estou ansiosa por chegar e viver numa pequena cidade de praia, tranquila e utilizar transporte público quando puder para explorar o país.”

“Acho que o tempo que passei na UC San Diego vai me ajudar na carreira profissional principalmente por causa da competição forte que enfrentamos no CCAA”, observou Reilly. “A liga sempre foi tão emocionante de se jogar. Além disso, a competição elevada que enfrentamos a cada ano no torneio da NCAA ajudou-me a testar meu nível enquanto jogadora de futebol e deu-me confiança para seguir em frente e que posso competir neste nível. ”

Para Reilly, um aspecto fundamental de sua experiência universitária foram os seus treinadores. O vínculo com a equipa técnica da UC San Diego permaneceu forte desde que ela se formou, e agora agradece-lhes o incentivo enquanto dá o próximo passo na sua carreira em Ovar

Quem também assinou pela Ovarense foi a luso-americana Nissa Pereira. Também oriunda dos Estados Unidos da América, chega para reforçar o plantel na sua primeira experiência europeia. Nissa competia na Universidade de Massachusetts, e tem um currículo recheado de nomeações e prémios individuais.
A esquerdina de 21 anos promete fazer estragos com o seu potente remate. Boa sorte às duas!

 

 

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo