CulturaPrimeira Vista

Aos 86 anos, Eduardo Valente lançou o seu primeiro livro

Eduardo Valente apresentou e lançou, este domingo, no Museu Júlio Dinis, o seu primeiro livro de poemas.

O primeiro livro com alguns poemas, um pequeno lote dos milhares que o Eduardo, hoje com 86 anos de idade, tem escrito ao longo dos tempos.

Na plateia repleta de amigos, incluindo o presidente da União das Freguesias de Ovar (UFO) e o vice-presidente da Câmara Municipal, Domingos Silva, eram muitos os rostos marcados de emoção por verem este sonho tornado realidade. Sentimentos sempre acompanhados de uma genuinidade e de uma humildade que tanto caraterizam o autor.

Eduardo da Silva Valente, nasceu em Guilhovai, São João de Ovar, aos 25 de Agosto de 1936, filho de humildes agricultores juntamente com mais sete irmãos.

Completou o curso de electromecânica nocturno, na Escola agora José Macedo Fragateiro, aluno com várias distinções pelas suas excelentes notas.

Aos 12 anos de idade teve o seu primeiro emprego, na Olaria Manuel Regalado, em São Miguel Ovar, aos 17 anos rumou a Lisboa, (a sua primeira aventura) para trabalhar nas fragatas.

Ainda com tenra idade cantava e tocava viola nas desfolhadas da sua vizinhança, já a dar nas vistas com o seu jeito para as rimas e composições de letras.

Aos 20 anos ingressou no serviço militar, em Aveiro, e aos 22 anos entrou na empresa “Rabor”, onde permaneceu cerca de 40 anos. Paralelamente ao seu desempenho laboral, nunca deixou a vida no campo com a sua família.

Foi fundador da Associação Desportiva e Cultural de Guilhovai e, posteriormente, da Associação Cultural e Recreativa de Sande, Salgueiral e Cimo de Vila e do Folclórico da Região de Ovar, onde é, actualmente, é elemento efectivo.

Com 86 anos de idade e com a humildade e empenho que se lhe reconhece, é elemento do conjunto “Amigos da Tasca Centenária”, onde toca viola e compõe letras para o referido conjunto, que ainda recentemente esteve na Suiça a  demonstrar os seus trabalhos.

Refira-se que Eduardo Valente tem uma insistente (e salutar) teimosia pela conservação dos costumes e tradições da cidade de Ovar, pelo que, ao realizar mais um capítulo da sua vida, o lançamento do seu Livro “Poemas de Vida”, perpetua um retrato da sua vida, da família, amigos e da sua cidade de Ovar: os seus amores de sempre.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo