LocalPrimeira Vista

Apresentado o Gabinete do Agricultor de Ovar

O Gabinete do Agricultor de Ovar (GAO) foi apresentado, esta sexta-feira, no âmbito da 3ª edição da Feira Agrícola e da Raça Marinhoa do Concelho de Ovar – Ovar Rural 2016, que ontem arrancou em Válega, numa iniciativa da Cooperativa Agrícola do Concelho de Ovar e da Câmara Municipal de Ovar.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, “o GAO operacionaliza a estratégia agrícola do concelho, reconhecendo o agricultor e a profissão”. Assim, é objectivo do gabinete “captar potencial humano e empreendedor, reactivando e estimulando o sector agrícola do concelho, num esforço integrado de combate à desertificação, dando prioridade de intervenção à agricultura enquanto potencial de desenvolvimento do concelho de Ovar”.

O apoio informativo de proximidade ao agricultor residente, com a oferta de uma variedade de serviços prestados num único local por diferentes entidades como o Gabinete Técnico Florestal e a Divisão de Ambiente da Câmara Municipal de Ovar, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, a Associação para o Desenvolvimento da Estação de Apoio à Bovinicultura Leiteira (EABL), Cooperativa Agrícola do Concelho de Ovar, CRL, Associação Florestal do baixo Vouga, Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro e Grupo de Acção Local.

Ontem, com vista ao funcionamento do GAO, o Município assinou protocolos de com duas entidades parceiras, a Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro (ALDA) e a Associação Florestal do Baixo Vouga (AFBV). A articulação com as diferentes entidades convidadas presentes para atendimento no GAO é efectuada com o estabelecimento de parcerias através da realização de protocolos de colaboração que permitirão um enriquecimento na partilha de recursos, de conhecimentos tecnológicos e práticos que beneficiará a agricultura do concelho de Ovar.

Manuel Guerra, presidente da direcção da Cooperativa Agrícola do Concelho de Ovar, deposita muita esperança no novo serviço, “num momento em que a agricultura nacional, e também a local, passa por diversas dificuldades”. “Há muita falta de apoio”, reforça o dirigente, esperando que o GAO possa ter um contributo positivo no sector, “a apoiar, orientar, informar, acompanhar e impulsionar o tecido agrícola”, e por outro lado, prestando informação e apoio a todos os empreendedores e futuros empresários, acerca de programas nacionais e comunitários no domínio da agricultura e desenvolvimento de projectos no âmbito de apoio a empresas e actividades agrícolas”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo