Publicidade
Local

Arada: Traficante usava mulher para evitar ir preso (NA)

O Ministério Público (MP) censurou a conduta de um homem residente em Arada, Ovar, que está acusado de tráfico de droga por usar uma cúmplice para evitar ser preso.

O arguido, que está a ser julgado no tribunal de Aveiro, recorria aos serviços de uma mulher para acautelar problemas com as autoridades policiais pois estava a cumprir uma pena de prisão suspensa.

“Não queria correr o risco de voltar a ser apanhado a vender e protegia-se com a arguida, que fazia o trabalho sujo, levando a droga dentro da roupa”, referiu a Procuradora do MP nas alegações finais, pedindo penas efetivas para o casal.

publicidade

Os arguido, que faziam vida da atividade de tráfico, seria apanhados pela GNR com cerca de 200 euros de produto estupefaciente adquirido na cidade do Porto, permanecendo desde então em prisão preventiva.

A defesa admite condenações a cadeia, mas pediu ao tribunal que fosse uma pena suspensa no caso da mulher, atendendo a que irá fazer tratamento oncológico nos próximos dois anos. (NA)

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo