CarnavalSlider

Arlindo Neto em concerto único em Portugal

Arlindo Neto é o terceiro de uma linhagem de músicos sambistas, herdando o talento do pai e do avô. No espectáculo que tem apresentado no Brasil e que traz amanhã na bagagem ao Espaço Folião, Arlindinho interpreta os grandes clássicos de seu pai, Arlindo Cruz, autor de obras como “Meu lugar” e “O show tem que continuar” e que também tocou no Carnaval de Ovar, em 2010.

Apesar da convivência, parentesco e admiração mútua, Arlindo Cruz e Arlindinho só se decidiram a realizar uma digressão juntos, há cerca de um ano. E a parceria de pai e filho correu tão bem que dali nasceu um CD. O projecto “Dois Arlindos”, gravado no início do ano, foi editado em Agosto de 2017 e é um grande sucesso do outro lado do atlântico.

O momento, no entanto, não parecia ser o mais apropriado para lançamento de um projecto desse tipo, já que Arlindo Cruz se encontra internado há quase cinco meses, por ter sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Mesmo sem o pai, Arlindinho resolveu não abandonar o projecto “Dois Arlindos” e continuou sozinho, realizando espectáculos e promovendo o álbum.

Arlindo Neto não quer saltar nenhuma etapa de uma carreira que se adivinha brilhante e promissora, seguindo pelo caminho do conhecimento próprio, seguindo o concelho que o seu pai Arlindo lhe deu um dia: “aconselho a você que seja sambista também”.

Da sua formação fazem parte todas as gerações do samba, transportando essas influências para o seu repertório: canta Mestre Candeia, Cartola, Noel Rosa, Dona Ivone Lara, entre outros. Passa pela renovação do samba dos anos oitenta, quando surgiu o seu pai. Sai do círculo do chamado “samba de raiz” quando seleciona sambas de João Bosco, Chico Buarque, Tim Maia ou Djavan, até chegar à sua obra e à dos seus parceiros de geração. No próximo sábado, à noite, no Espaço Folião, do Carnaval de Ovar.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta