LocalSlider

Arranca a empreitada de requalificação do eixo viário central

Arranca a empreitada de requalificação do eixo viário central

[themoneytizer id=”16574-1″]

 

Iniciaram-se, esta segunda-feira, os preparativos para o arranque dos trabalhos de requalificação do Eixo Viário constituído pelas Ruas Dr. Manuel Arala e Elias Garcia.

A obra abrange ainda a zona envolvente do Jardim dos Campos, o Largo 5 de Outubro e parte da Rua Cândido dos Reis, que entronca na Praça da República, devendo prolongar-se pelos próximos três meses.

O projecto prevê uma reestruturação da via através do reperfilamento das faixas de rodagem, com mais espaço para o peão, substituição de pavimentos em passeios e faixas de rodagem, redistribuição do estacionamento, novo mobiliário urbano, reformulação das zonas verdes, nomeadamente no Largo 5 de Outubro, no qual serão incluídos uma nova paragem de autocarros e um novo quiosque.

A empreitada, enquadrada no PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Ovar pretende dotar o centro da cidade de uma imagem urbana requalificada, tornando-o mais moderno, verde e arrojado, com melhor ambiente urbano, priorizando os peões, mas, essencialmente, gerando um centro urbano mais acessível e com maior mobilidade para todos.

Os trabalhos, que tiveram que esperar o fim dos festejos do Carnaval, de modo a evitar (mais) constrangimentos a quem visitou a cidade pelo Entrudo, serão divididos em 4 fases. A primeira vai desde o Alto do Saboga, junto do quartel dos Bombeiros Voluntários de Ovar, até à Praça da República, ou seja, incidirá na Rua Dr. Manuel Arala.

Os comerciantes reuniram, no passado dia 28 de fevereiro, com técnicos do Município para se prepararem para os constrangimentos que terão de enfrentar nos próximos três meses. “Só esperamos é que os prazos sejam cumpridos”, desabafou um deles que não quis ser identificado.

Sendo a espinha dorsal do trânsito automóvel do centro da cidade que está em causa, as atenções vão virar-se para as alternativas que serão colocadas ao dispor dos automobilistas. São vários os “desvios” que irão surgir e o Município pensa ter encontrado as melhores soluções temporárias para quem vive, trabalha ou precisa deslocar-se ao centro histórico vareiro. “Esperamos contar com a colaboração, compreensão e paciência de todos”, comentou Salvador Malheiro, na cerimónia do acto de consignação da empreitada à Tecnifeira – Engenharia e Construção, SA, com sede em Matosinhos, no valor de 1.059.210,93 Euros, que decorreu no passado sábado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta