CulturaSlider

As Marionetas que falam a língua de Camões

O Festival Internacional de Marionetas de Ovar (FIMO) é um festival para encher as ruas da cidade e essa é uma das linhas que o director Nuno Pinto quer continuar a seguir. Um dos segredos do sucesso do certame é a participação de companhias locais que tem crescido a par com o próprio FIMO. A estas juntam-se outras com espectáculos falados em português, de ambos os lados do Atlântico, o que garante um público para toda a família.

“Tentamos ter sempre as novidades nacionais no FIMO porque isso significa que não temos de nos preocupar com a percepção da mensagem”, explica Nuno Pinto. Assim, a representação da língua de Camões é das maiores de sempre e caberá, este ano, aos colectivos Partículas Elementares (Ovar), Contacto (Ovar), Sol D’Alma (Ovar), Mandrágora (Espinho), Circo Poeira (Brasil) e Teatro do Maleiro (Brasil).

“O Ninho”
A companhia Partículas Elementares traz ao FIMO uma peça estreada este mês, no XI Encontro Internacional de Marionetas de Montemor-o-Novo. Trata-se de “O Ninho”, a história de um menino que sobrevoava o mundo num avião vermelho. Numa das suas paragens, o menino encontra uma árvore com um ninho, onde encontra um ovo com um passarinho dentro. É aí que surge um dilema: seguir viagem ou ficar e chocar o ovo?

“Está aí alguém?”
A Contacto estreia no FIMO uma nova produção para toda a família, no próximo dia 9 de junho: “Está aí alguém?” que conta a história de Pascoal, um menino loiro de sete anos, que enquanto brincava com a sua mãe, resolveu esconder-se num sítio totalmente escuro, possivelmente uma arrecadação, e ficou desorientado. Pôs-se à procura da porta por onde entrara e ouviu alguém soluçar e logo quis saber quem era. De início, pensou tratar-se de alguém como ele, isto é, de uma criança, mas com o desenrolar do diálogo, ficou bastante intrigado, porque a todas as perguntas que fazia obtinha como resposta outras perguntas…

Este novo espectáculo de marionetas e actores da Contacto acontece em ambiente de luz negra pelo que não é aconselhado para pessoas que possam ser afectadas por perturbações resultantes deste tipo de iluminação.

“Este Rio tem um Segredo”
O Sol D’Alma apresenta-se pela primeira vez no FIMO, com “Este Rio tem um Segredo”, baseado num escrito de Miguel Sousa Tavares, que conta a amizade entre um menino e um peixe, uma obra de aprendizagem sobre a vida e os seus mistérios, sobre a amizade, o respeito e as relações com o(s) outro(s) e a natureza.

“Bzzzoira Moira”

De Espinho, a companhia Madrágora traz-nos “Bzzzoira Moira”, numa homenagem às lendas das mouras encantadas e seres fantásticos que povoam o o nosso país.

Esta é a história sobre um poço negro que dizem esconder um tesouro guardado por uma moura encantada por um feitiço… Durante a noite a jovem chora, enquanto se penteia, mas durante o dia é transformada num animal que afugenta o aguadeiro a caminho do poço, onde vai buscar água… Este é o início de uma extraordinária história. À noite quando percorro as ruas recordo que cada recanto esconde uma lenda, que esconde um mistério, que revela um pouco de nós, da nossa identidade e cultura.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo