Política

Primeira auscultação popular vota contra actual agregação de freguesias

O mau tempo que se fez sentir na noite de quinta-feira terá influenciado a adesão à auscultação popular sobre a agregação de freguesias que começou de forma morna mas acabou por aquecer.

O presidente da Assembleia da União das Freguesias, José Fragateiro, explicou que a iniciativa dá cumprimento ao que foi aprovado por unanimidade, na reunião de 24 de Abril último, em que “fomos mandatados para fazer esta auscultação popular sobre a agregação das freguesias no concelho de Ovar”.

O autarca passou então a explicar os moldes em que se ia processar a sessão, mas surgiriam várias dúvidas quanto ao seu preenchimento, nomeadamente no que concerne à alínea c do ponto 3, prontamente esclarecidas. Rui Catalão, presidente da Associação de Produtores do Pão de Ló de Ovar (APPO), pediu então a palavra para sugerir a abertura de um período de discussão, proposta que não seria acolhida, justificando José Fragateiro que “o tema já foi muito debatido nos órgãos competentes”. O cidadão recusar-se-ia então a votar em protesto.

Embora o auditório estivesse composto, muitos dos presentes optaram por não exercer o seu direito de voto, optando por fazê-lo nas suas freguesias de origem ou residência. Assim, 14 votos válidos foram expressos contra o actual modelo de agregação, 3 foram considerados nulos por anomalias de preenchimento e um voto foi registado a favor de manter o modelo actual.

José Fragateiro anunciou que esta foi a primeira de quatro sessões que vão percorrer as restantes freguesias da União.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo