PolíticaSlider

Autarcas socialistas contra cálculo do apoio às freguesias

Os presidentes da União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã (UFO), e da Junta de Freguesia de Válega, eleitos pelo PS, votaram contra a proposta do executivo de 250 mil euros de apoio extraordinário às freguesias.

Na reunião da Assembleia Municipal, que decorreu na última sexta-feira, o grupo do PS justificou a posição com o facto do presidente da câmara, “em todas as intervenções, referir que, para si, o concelho de Ovar continuaria a ter 08 freguesias e que as trataria de igual modo”. Lembra ainda que “as freguesias e as populações de Ovar, S. João, Arada e S. Vicente de Pereira, sempre se manifestaram veemente contra a sua extinção/agregação, a cargo do Governo PSD/CDS”.

Os socialistas alegam que, em face da proposta, “as freguesias de Esmoriz, Cortegaça, Maceda e Válega, irão receber 50 mil euros cada uma, enquanto que a Ovar, S. João, Arada e S. Vicente apenas caberá, por freguesia, a quantia de 12.500”.

Os dois autarcas incluídos no grupo do PS na Assembleia Municipal votaram contra, “porque estão postos em causa os princípios mais elementares da igualdade de tratamento e da transparência, não podendo deixar passar em claro esta lamentável situação”.

O PSD de Ovar reagiu em comunicado, defendendo que os “fregueses da UFO e de Válega devem sentir-se angustiados com a atitude dos seus representantes que, ao arrepio dos cânones básicos de uma boa gestão autárquica, optam por uma preocupante manobra de eleitoralismo pré-eleitoral autárquico contra os interesses das suas populações”.

Para Bruno Oliveira e Jaime Almeida, “os interesses do PS e uma futura candidatura autárquica são mais importantes do que os seus fregueses”, lamenta o PSD, que não acredita que “os restantes elementos dos executivos das juntas e da assembleia da União e de Válega tenham sufragado a atitude politiqueira dos seus presidentes”.

Os social-democratas desafiam mesmo os presidentes Bruno Oliveira e Jaime Almeida a recusar a verba atribuída e, no caso específico de Válega, “explicar porque razão reclamam, constantemente, da falta de investimento da Câmara Municipal de Ovar naquele território”.

Ao contrário, a Comissão Política de Secção de Ovar enaltece a postura dos presidentes de junta de Cortegaça, Esmoriz e Maceda que, “tendo sido eleitos pelo PSD, optaram, mais uma vez, por atender aos melhores interesses dos seus fregueses e viabilizaram uma proposta que terá profundo impacto em todo o território do Município de Ovar”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta