Política

BE preocupado com atraso na remoção de amianto

 

Com o início do ano lectivo à porta, escasseia o tempo para a Câmara Municipal de Ovar concretizar a obra de substituição das telhas de fibrocimento na escola EB 2,3 António Dias Simões, tal como resulta do Acordo de Colaboração com a Direção – Geral dos Estabelecimentos de Ensino (DGEstE).
Esta obra à muito esperada pela comunidade escolar, faz parte de um dos três projectos que deram origem à 4ª Revisão ao Orçamento e às Grandes Opções do Plano, aprovada em reunião de Câmara no dia 14 de julho e na sessão da Assembleia Municipal no dia 21 de julho.

O BE de Ovar recorda que os trabalhos já “deveriam estar a decorrer neste período de paragem lectiva, para salvaguardar que os vários elementos da comunidade escolar não tenham qualquer contacto com a perigosidade que pode representar a libertação de partículas de amianto durante a remoção da cobertura nos vários pavilhões de salas de aulas”.
“Quando estamos, na prática, a poucos dias do início de mais um ano lectivo, não há sinais do arranque da obra que a Câmara Municipal de Ovar assumiu em mãos, incluindo todos os actos inerentes ao contrato de empreitada e o acompanhamento e fiscalização da obra, substituindo-se assim à Administração Central”.
Perante o visível atraso da anunciada obra, o BE “lamenta e considera ser necessário o devido esclarecimento público por parte do executivo camarário”.

O Grupo Municipal do BE, através de um requerimento, quer saber “que medidas estão a ser tomadas para que o arranque do ano lectivo 2014/2015 na EB 2,3 António Dias Simões não sofra atrasos significativos?”.
O BE considera que se a obra de substituição da cobertura (amianto) ainda avançar nestes dias, o início de aulas na EB 2,3 António Dias Simões acabará por “sofrer inevitáveis atrasos” que, na sua perspectiva, implicará o assumir de medidas preventivas e de segurança durante as eventuais obras que tardam.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo