Política

BE questiona Cais do Carregal após a obra da Polis

Através de requerimento dirigido à Câmara Municipal de Ovar, o BE chama a atenção para o facto de “quatro meses depois da inauguração das primeiras obras da Polis no concelho de Ovar, que incluíram a empreitada do Cais do Carregal, este Cais está já a mostrar sinais de fragilidade das margens pouco consolidadas”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs fortes correntes de água que se estão a verificar na Ria em função das marés, “estão também a arrastar as terras das margens ao longo do Cais do Carregal depositando-se no canal visivelmente assoreado”, acrescentando que “o actual cenário do Cais do Carregal reflecte uma irónica contradição, entre a área envolvente que beneficiou de requalificação paisagística e equipamentos para lazer, e a rápida degradação de uma obra cujos objetivos de recuperação deste Cais podem não ter tido em conta a realidade das marés e suas consequências nas margens a desmoronarem-se e agravarem o assoreamento do canal do Cais, a exemplo aliás de todo o canal da Ria de Ovar”.

Assim, através do deputado municipal do Bloco, Álvaro Faria, foram colocadas as seguintes questões ao executivo camarário: Tendo esta obra da Sociedade Pólis da Ria de Aveiro passado para o domínio autárquico, passando a Câmara Municipal de Ovar a ser responsável pela gestão, limpeza, manutenção e vigilância destes locais, que medidas está a Câmara Municipal de Ovar a tomar para consolidar as margens e contrariar o assoreamento que se está a verificar no canal do Cais do Carregal? Que responsabilidades pensa a Câmara Municipal de Ovar imputar à Sociedade Pólis da Ria de Aveiro?

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo