Política

BE reclama medidas urgentes para defender Perímetro Florestal das Dunas de Ovar

O Bloco de Esquerda teme que num futuro próximo as matas litorais do distrito de Aveiro sob responsabilidade directa do Estado sejam as próximas a serem consumidas pelo fogo e reclamou medidas de intervenção urgentes, informou hoje o partido.

O deputado do Bloco, Moisés Ferreira, questionou o Governo sobre o estado actual, em termos de modelo de gestão, dos pinhais litorais incluídos nas matas nacionais, perímetros florestais e reservas naturais, sob responsabilidade directa do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, no distrito de Aveiro.

Em causa estão a Reserva Natural das Dunas de São Jacinto, a Mata Nacional das Dunas de São Jacinto e o Perímetro Florestal das Dunas de Ovar, que, segundo o parlamentar, “foram, em grande medida, poupados” aos incêndios que fustigaram as regiões centro e norte de Portugal.

O bloquista considera, no entanto, que o facto destas áreas de pinhal litoral não terem ardido, “não se deveu a uma melhor gestão destas áreas relativamente às outras, mas provavelmente a motivos de natureza aleatória”.

“Com efeito, tal como a Mata Nacional de Leiria, entre outros, a área do Perímetro Florestal das Dunas de Ovar e toda a área florestal de São Jacinto, ambas geridas pelo Estado, encontra-se ao abandono, em avançado estado de degradação”, refere Moisés Ferreira.

Entre outras ameaças, o parlamentar destaca “o aumento da matéria combustível no sub-bosque, em consequência da proliferação de plantas exóticas invasoras”.

O Bloco considera que existem hoje motivos mais do que evidente para que sejam implementadas, com carácter de urgência, medidas de prevenção de fogos florestais nas matas litorais do distrito de Aveiro que estão sob responsabilidade directa do Estado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta