CulturaSlider

Biblioteca Municipal apresenta «Eu Amo Tu»

 

O projecto «Eu Amo Tu», de Margarida Santos, inaugurado na passada sexta-feira, na Biblioteca Municipal de Ovar, é marcante pela sua estética transbordante de sensualidade e pela transversalidade das diferentes formas de expressão no âmbito das artes plásticas e da escrita, numa pluralidade de linguagens traduzidas na escultura (em bronze), no desenho (em grafite), na pintura (em acrílico) e, ainda, no vídeo, na fotografia e, como início e fim de tudo, na poesia.

«Eu amo tu» = «eu gosto de ti» = «eu amo-te» = «tu viverás para sempre no meu coração», fica patente até 19 de março de 2016

Margarida Santos nasceu em 1946, no concelho de Vila Nova de Gaia. Obteve a Licenciatura em Escultura na Escola Superior de Belas Artes do Porto (E.S.B.A.P.), em 1968, e possui o Curso de Ciências Pedagógicas da Universidade de Coimbra (1970).

Foi Bolseira da Gulbenkian, professora, entre 1968 e 2006, orientadora pedagógica da Direcção-Geral do Ensino Básico e da equipa de Educação Visual da Telescola, assim como responsável por cursos para professores e pela realização de filmes pedagógicos e didáticos.

Autora, apresentadora e colaboradora de programas culturais da imprensa, da rádio e da televisão e de artigos de opinião e crónicas, redigiu os textos de vários catálogos de exposições.

Foi diretora artística da Galeria da Praça, autora e ilustradora de poesia e de obra gráfica, realizou dezenas de exposições individuais, dentro e fora do país.

Participou em centenas de mostras colectivas desde 1968 até hoje, desenvolvendo profícua actividade na área da literatura, da poesia e das artes plásticas: escreve, desenha, pinta e, sobretudo, esculpe. Obras suas – algumas de grande envergadura e em espaço público – integram coleções particulares e institucionais, tendo obtido várias distinções, como o «Prémio de Desenho» do Governo Espanhol, o “Prémio Especial do Júri”, em Puy-en-Velay, em França, e a Medalha de Mérito Cultural e Científico (ouro), da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia (2002), além do “Prémio Ventura Terra”.

De entre as suas esculturas de figuração moderna, por norma realizadas em bronze e repartidas por bustos, retratos, relevos, troféus, múltiplos e medalhas, pode realçar-se o “Busto de Aristides de Sousa Mendes” (Bordéus, França), descerrado por Mário Soares, em 1994, o “Monumento ao Pedreiro”, em Canelas, e a escultura do jardim junto à Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia, entre muitos outros trabalhos.

É sócia-fundadora da “Cooperativa Cultural Artistas de Gaia”, da Associação Nacional dos Artistas Plásticos Portugueses e, ainda, membro da Sociedade Nacional de Belas Artes, de Lisboa, e da Cooperativa de Atividades Artísticas Árvore, no Porto.

O seu atelier situa-se na terra-natal: Canelas, Vila Nova de Gaia.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo