Empresas

Bosch e U. Porto em novo projeto de inovação de 10 milhões de euros

multinacional alemã Bosch, a Universidade do Porto e o International Iberian Nanotechnology Laboratory (INL) vão colaborar num novo projeto de inovação que pretende trazer a Inteligência Artificial para dentro das fábricas de todo o mundo. Atuando na área da Indústria 4.0 e da AIoT (Artificial Intelligence of Things), o projeto “Sensitive Industry” visa o desenvolvimento de novas soluções tecnológicas que permitam melhorar a eficiência, a qualidade e o custo da produção industrial.

Representando um investimento de 10 milhões de euros, a aplicar até 2025, suportados por fundos nacionais com o apoio do COMPETE 2020, o projeto foi apresentado publicamente na Reitoria da Universidade do Porto, na cerimónia de assinatura do contrato de investimento da AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.

“Este projeto é um exemplo da aposta da economia nacional na transformação digital. É representativo da dinâmica do ecossistema empresas, universidades e investigação e desenvolvimento tecnológico aplicado à indústria”, salientou Filipe Santos Costa, Presidente da AICEP.

Sensitive Industry irá integrar cerca de 70 profissionais altamente qualificados, entre engenheiros e investigadores, que irão contribuir para a criação de conhecimento crítico e para o desenvolvimento de soluções inovadoras a partir de Portugal com elevado impacto.

“Esta parceria é mais um exemplo da aposta da Bosch nas relações de parceria com a academia e o INL, como forma de contribuir para a inovação e competitividade do país. Esperamos que daqui resultem tecnologias com impacto na indústria tanto a nível de eficiência como custo e qualidade de produção, fazendo uso dos nossos produtos, nomeadamente câmaras e vídeo”, afirmou António Pereira, administrador da Bosch em Ovar.

O projeto Sensitive Industry permitirá encontrar soluções ajustadas às exigências da digitalização da indústria através do desenvolvimento de um sistema com componentes inovadoras que vão permitir recolher e analisar dados de produção e logística com recurso a câmaras e outros dispositivos sensoriais de Inteligência Artificial aplicada à IoT (Internet of Things), possibilitando dessa forma a criação de um digital twin nestas duas áreas da fábrica, que vêm minimizar desperdícios e otimizar recursos.

“Queremos dar resposta à necessidade de uma produção cada vez mais inteligente, com soluções conectadas que garantem transparência e flexibilidade na produção, além de operações mais fiáveis, contribuindo assim para melhorar a eficiência, a qualidade e o custo da produção através da tomada de decisão baseada em dados e com recurso às tecnologias AIoT”, explicou Sérgio Salústio, responsável de I&D da Bosch em Ovar.

Para a Universidade do Porto, especificamente, este projeto representa um financiamento direto de 4,2 milhões de euros, que permitirá a contratação de 56 investigadores pelas faculdades de Engenharia (FEUP), de Psicologia e Ciências da Educação (PFCEUP) e de Direito (FDUP).

O Reitor da U.Porto, António de Sousa Pereira, salientou que o Sensitive Industry “irá proporcionar o desenvolvimento de novas tecnologias e produtos made in Portugal, numa parceria entre academia e indústria. Desta forma, estou em crer que estamos a contribuir decisivamente para a transformação económica e social do nosso país, promovendo a valorização económica do conhecimento”.

Depois dos projetos Safe Cities – Building Urban Safety e THEIA – Automated Perception Driving, esta é já a terceira grande parceria de inovação que a Bosch estabelece com a Universidade do Porto nos últimos cinco anos.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo