LocalPrimeira Vista

Cães da “Terra D’Anjos” estimulam desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças

Crianças evoluem muito com terapia assistida

A Terapia Assistida por Cães é uma prática realizada por profissionais das áreas da saúde e educação com o objectivo de promover o desenvolvimento físico, psíquico, cognitivo e social.

O método inovador ainda é pouco praticado mas em Ovar, Eduarda Guimarães, que se encontra a concluir uma licenciatura em Psicopedagogia, tem vindo a conciliar esta área com os seus cães, algo que a tem apaixonado. “Foi assim que surgiu o meu projecto, “Terras d’Anjos“, em 2020, do qual sou fundadora”, começa a contar-nos Eduarda.

Actualmente, é criadora de cães de companhia, entre eles, da raça Cavalier King Charles Spaniel, e colabora com a mãe na venda de produtos para animais de estimação, “alguns deles de fabrico nosso familiar”.

Como forma de juntar as suas duas paixões, tem trabalhado ao longo dos estágios com os seus cães, envolvendo-os em diversas actividades, “algo que tenho dado conta que é ainda muito recente no nosso país e que tem resultados bastante positivos”.

É com alegria que verifica que “as crianças adquirem bastante motivação, felicidade, criatividade, o que contribui para o seu sucesso escolar”. Além de adquirirem muita mais motivação no seu processo de aprendizagem, Eduarda sublinha o aumento da auto-estima nas crianças e “até mesmo a partilha de problemas com os meus cãezinhos que não se sentem tão à-vontade de partilhar com os adultos”.

As terapias assistidas por cães contribuem para atingir objectivos que visam desenvolver a capacidade de regular as emoções; Desenvolver as interacções sociais; Estimular a participação e as interações dos indivíduos; Melhorar as habilidades motoras finas e o equilíbrio; Estimular as funções cognitivas (memória, atenção concentração, linguagem, pensamento); Aumentar a autoestima; Reduzir a ansiedade; Minimizar a solidão; Estimular a motivação.

“A felicidade das crianças, o seu sorriso de orelha a orelha, assim como a sua evolução ao longo do processo tem sido extremamente gratificante para mim”, enfatiza Eduarda Guimarães o que, futuramente, a nível profissional, pretende continuar a explorar de forma “diferente e inovadora”.

Actualmente a concluir a Licenciatura em Psicopedagogia no Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração em Aveiro, Eduarda viveu durante vários anos a incerteza da área que pretendia seguir. “Tinha um certo gosto pela área da psicologia mas as dúvidas eram sempre maiores que as certezas”.

Quando acabou o ensino secundário acabou por ingressar num curso Técnico Superior de Gerontologia e esteve também matriculada numa Licenciatura em Solicitadoria. Em ambos os casos, acabou por desistir por não sentir que estava na área certa.

Apesar de tudo, essas escolhas levaram-na ao caminho em que está hoje, ao “caminho realmente certo, e sou bastante grata por isso”, confessa.

O normal é as pessoas questionarem Psicoquê? Psicopedagogia? Mas o que é isso?

É uma área ainda muito pouco reconhecida em Portugal, no entanto, de uma forma geral, a Psicopedagogia implica a combinação de duas áreas principais: a psicologia e a pedagogia.

Esta área tem como principal foco as dificuldades na aprendizagem e o fracasso escolar. A sua visão da Psicopedagogia “é muito mais que isso, ela muda-nos por completo. É muito mais do que uma área de conhecimento que trabalha as dificuldades na aprendizagem”. A futura médica vareira sublinha que “é muito mais do que a compreensão do processo de aprendizagem”. “É muito mais do que actuar e prevenir os problemas na aprendizagem”.

Eduarda Guimarães está convicta de que a Psicopedagogia “está dentro de nós, diariamente, na nossa observação, na forma como agimos, como intervimos, nas nossas escolhas”. Porque “é uma verdadeira mistura de sentimentos, e hoje sei que já não vivo sem ela”.

O seu percurso profissional, inclui prática em escolas e Centros de Estudos, entre eles, o Centro de Estudos Smart Kids e o Clube do Aprendiz e é ainda membro integrado da Associação de Psicopedagogos em Portugal.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo