LocalSlider

Câmara Municipal espera que IEFP reabra em Janeiro

O Balcão de Atendimento de Ovar do Centro de Emprego de Aveiro, do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), encerrou quando o concelho entrou em cerca sanitária, no âmbito das restrições impostas pela pandemia da COVID-19, e nunca mais reabriu o acesso dos utentes ao atendimento presencial nas suas instalações.

Perante esta paragem dos serviços presenciais, a Câmara de Ovar, arrendatária do espaço, reclamou a sua reactivação em Outubro passado, alegando consequências negativas devido à “limitação das pessoas” ao serviço que era prestado, mas a verdade é que o espaço continua fechado com prejuízos para quem precisa de aceder ao serviço.

O atendimento presencial já deveria ter “reaberto há muito tempo”, disse o vice-presidente Domingos Silva, garantindo que há sempre o serviço telefónico, mas “não é a mesma coisa”. O atendimento presencial já deveria ter “reaberto há muito tempo”, disse o vice-presidente Domingos Silva, garantindo que há sempre o serviço telefónico, mas “não é a mesma coisa”.

O autarca revela que a Edilidade e o IEFP tem estado em diálogo para resolver este problema, recordando o processo, Domingos Silva conta que “o IEFP contactou-nos no período a seguir ao final do cerco, por volta de maio e junho, para fazer obras no espaço de modo a adequar a ventilação com as normas da pandemia”.

Domingos Silva que também gere a pasta das obras na Câmara Municipal de Ovar assegura que, “por nossa parte dissemos logo que não havia inconveniente nenhum e acertamos que obras competiriam a quem”. Desta forma, a Câmara Municipal de Ovar ficou com a parte do ar condicionado e o IEFP com o restante, nomeadamente a instalação de janelas basculantes e pinturas. “Estamos a aguardar, na certeza de que não podemos dizer que haja desleixo do IEFP, porque tem havido diálogo entre nós e julgo que já se fizeram a contratação do empreiteiro, pediram licença para a obra que, aliás estará a decorrer”. Domingos Silva assegura que os trabalhos “não são de grande monta mas há um conjunto de procedimentos que têm de ser cumprimentos”.

“Da nossa parte o que queremos é que abram o mais rápido possível, mas do que me reportam as pessoas não deixaram de ser atendidas, embora o atendimento telefónico não se compare com o presencial”. “Conto que as obras estejam concluídas até final deste mês e que o serviço reabra em Janeiro”, terminou.

Segundo foi possível apurar, as obras foram concluídas na semana passada e a loja deve reabrir brevemente.

Por Luís Ventura in Diário de Aveiro

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo