Política

Câmara Municipal retirou tarja do Movimento 2030

No dia em que distribuiu o seu informail pelo correio, o Movimento 2030 viu a tarja que tinha afixada na sua sede, junto à Praça da República, ser retirada pela Câmara Municipal.

O comando da PSP informou que esteve presente, esta quinta-feira, no local mas fê-lo apenas para “regularização do trânsito porque estava uma grua a operar a partir da via”. O vereador Domingos Silva confirmou ter-se tratado de uma acção do Município na sequência da notificação enviada na semana passada por falta de licenciamento.

“Recebemos uma carta de uma empresa, que desconhecemos, a pedir informações sobre
o processo, mas continuamos a desconhecer quem colocou a tarja e o que é o Movimento 2030”.

Segundo o autarca, a acção “nada teve a ver com política, estamos apenas a repor a legalidade, como compete a uma Câmara Municipal enquanto entidade administrativa”.

O responsável dos independentes e, desde esta quinta-feira, candidato assumido à presidência, Henrique Araújo, diz que está em causa uma “intervenção do Município numa propriedade privada, a não ser que tenha ordem de juiz ou tenha tomado posse administrativa do imóvel, como sucedeu com o Cine-teatro de Ovar”.

Embora diga sentir-se “desgastado e triste”, decidiu “apresentar uma queixa-crime, por furto, na PSP de Ovar”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta