LocalSlider

“Capela do Carregal não tem condições para a Festa da Primeira Comunhão”

Os pais das crianças que frequentam a catequese na Paróquia de S. Pedro voltaram a apelar à Diocese do Porto alegando que “a capela do Carregal não reúne condições mínimas para a realização da celebração da Festa da 1ª Comunhão”.

Na qualidade de pai, educador e também de cristão, Jorge Pereira, recorda em missiva em enviada ao Bispo que “a celebração que estas mesmas crianças fizeram do Pai Nosso, correu de forma péssima, pois houve pais que ficaram do lado de fora da capela, não podendo assistir à primeira celebração cristã dos seus filhos”.

Os pais referem que o Padre Tiago “insiste na rotatividade”, dizendo que “a paróquia é grande, e que as celebrações devem ser repartidas”, mas os pais não concordam.

Esta celebração esteve programada para a capela da Marinha que é, segundo os pais, “ainda mais pequena que a do Carregal e foi deslocada porque não havia crianças a fazer a primeira comunhão nessa zona da cidade, portanto, e a partir desse momento, deixa de haver razão para rotatividade, e toda a argumentação deixa de ser válida”.

CapelaFuradouroOs pais gostariam de ver a celebração realizada no Furadouro, onde a capela tem mais condições e é terra de 25 das cerca de 36 crianças que vão fazer a 1.ª comunhão.

“Voltamos a lembrar a todos que não exigimos a celebração na Capela do Furadouro, mas sim numa capela com condições para receber condignamente as famílias, embora saibamos que não virão todos os familiares, mas os mais próximos pelo menos deveriam ter o direito de assistir à celebração”.

“É estranho virem-nos pedir que falemos com os nossos pais, avós destas crianças, e os informemos que para assistir à cerimónia só na televisão, na casa Mortuária da Capela do Carregal”, argumentam.

Os pais defendem que “tanto a Capela do Furadouro como a Capela do Torrão do Lameiro permitiriam que as famílias assistissem às cerimónias de forma digna”.

Sobre este caso, fonte da Diocese disse ao Ovarnews que o Bispo responsável pela área pastoral de Ovar, D. joão Lavrador, já se inteirou e deu resposta a este caso, pelo que o assunto já foi devidamente tratado.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo