Carnaval

Carnaval de Estarreja muda de percurso em 2018

O diagnóstico estava feito mas antes de avançar para as inovações, a Associação do Carnaval auscultou os 13 grupos de Carnaval, visitou as suas sedes de trabalho, reuniu com as equipas da Câmara Municipal e acompanhamento, observou e analisou as iniciativas que integraram o programa do Carnaval de Estarreja 2016.

Ouvidos foram também 15 empresários da restauração e comércio localizado no centro de Estarreja, no âmbito de uma análise de presença mediática do evento e das suas características. A opinião do público foi ouvido através de 253 inquéritos presenciais e 1.013 inquéritos online.

Entre as novidades anunciadas na sessão destaca-se o facto de o carnaval estarrejense ir mudar de percurso, em 2018, aproveitando o desenho do novo Mercado Municipal e o Parque Urbano.

O presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, anunciou a vontade de “reformular o Carnaval e dar-lhe uma nova roupagem, criando um espectáculo mais atractivo para que as pessoas venham uma vez e repitam”.
O autarca admite que os actuais “tempo de percurso e teatro do cortejo não eram os mais adequados e isso tinha que ser limado”. “Vamos mudar mas precisamos da colaboração de todos os grupos e escolas de samba”, alertou.

Será um percurso onde se fará “a concentração de todo o espectáculo, com barreiras para separar os desfilantes e o público, numa linha recta, numa extensão um pouco mais curta que o actual, com cerca de 400 metros”. O autarca está convicto de que o  Carnaval só tem a ganhar, pois o espectáculo sai a ganhar pois, entre outras vantagens,  “para quem vê não deverá ultrapassar as 2,5 horas ou 3 horas de desfile”.

Um percurso que, provavelmente, terá apenas bancada em 2018, “mas em 2017 vamos estabilizar as datas e não mexer, com a ajuda de S. Pedro”.

Diamantino Sabina revelou ainda que o Município adquiriu o edifício do “antigo descasque do arroz, com mais de 5 mil metros quadrados, e com um investimento não muito grande poderemos ter os grupos, em 2018, num espaço franco e amplo para construírem os seus carros”.

Pedro Mendes, presidente da Associação do Carnaval de Estarreja, reforçou que um das preocupações da organização tem a ver com “o ritmo do desfile e, por isso, o resultado deste estudo vai começar a ser implementado já em 2017, tendo em vista o ano de 2018”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo