LocalPrimeira Vista

Casal e uma empregada foram libertados mas assaltantes fugiram

Viveram-se momentos de aflição do Furadouro. Um casal de comerciantes de peixe da praia e uma empregada estiveram fechados numa casa de banho da sua vivenda desde manhã, na sequência de um assalto.

As autoridades montaram um perímetro de segurança e, após a chegada da unidade especial de polícia, libertaram o casal, mas verificaram que os assaltantes teriam entretanto fugido.

A notícia de que Rosa da Adriana, o marido e uma empregada estariam sequestrados dentro da sua própria casa correu desde esta manhã. Foi uma das filhas de Rosa que, cerca das 9 horas, estranhando o atraso da mãe a chegar à peixaria e o facto desta não atender o telefone, terá ido ver o que se passava.

Já na vivenda, a filha ouviu a mãe a gritar que estavam a ser assaltados, ao mesmo tempo que lhe pedia para fugir. No local viu vidros partidos e ouviu o que lhe parecia ser o som de “marretadas”. Um terceiro assaltante encapuzado fugiu num Audi preto que estava estacionado na rua ao ver populares que vinham em auxílio, deixando os outros dois aparentemente lá dentro.

Após serem libertados, cerca do meio-dia, as vítimas foram levados para um estabelecimento comercial localizado ao lado da casa, ao mesmo tempo que se verificou que os assaltantes já teriam escapado.

Tudo indica que os larápios terão escapado pouco depois do alarme da proprietária, deixando esta, o marido e a empregada, fechados, que não conseguiram comunicar para fora, tendo ali ficado cerca de 4 horas, até serem libertadas pela polícia. O intendente da PSP de Aveiro, Sérgio Loureiro, explicou: “Fomos alertados para esta situação. Chegamos aqui e montamos o esquema para enfrentar uma situação de roubo e sequestro. Não sabíamos que não estavam lá os assaltantes. Suspeitamos que estavam dois e agimos de acordo com essa informação.” Segundo o intendente, o casal de idosos, na casa dos 70 anos, e a empregada “terão sido agredidos” pelos assaltantes.

Às 12h40, a rotunda das Varinas e as ruas mais próximas ainda se encontravam cortadas ao trânsito e no local ainda continuava um grande aparato de viaturas de bombeiros, da PSP, do INEM e também da Polícia Judiciária. Dezenas de curiosos mantinham-se também nas imediações.

Os dois assaltantes não foram capturados e encontram-se a monte.

sequestro1

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo