CulturaPrimeira VistaVerão 2022

Chef valeguense cozinhou para Ronald Reagan, Beatles e Rei da Arábia

Em época de festa para as gentes de Válega, trazemos a história de um valeguense de sucesso cujo trabalho é muito celebrado em terras do Tio Sam que o acolheram como seu.

Na sua carreira, entre muitas outras figuras mundiais, cozinhou para Ronald Reagan, antigo Presidente dos EUA, para o Rei Abdullah, da Arábia Saudita, ou ainda para o ‘Beatle’ Paul McCartney.

Falamos de Joe (José) Guerra, Chef que tem conquistado a América com a sua cozinha de sabor lusitano. “Para mim, cozinhar é um prazer, uma experiência de partilha. Cozinhar, quando gera uma emoção, é como um acto de doação, uma forma de arte de paixão. É sobre as pessoas ao redor da mesa serem felizes.”

Aos 60 anos, inaugurou recentemente um novo projecto onde aplica todo o “know how” adquirido em muitos anos de profissão nos EUA, onde a sua marca ficou nas cozinhas dos restaurantes do hotel ‘Four Seasons’, em Manhattan, ou do ‘Delegate’s Dining Room’, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), ambas em Nova Iorque.

No currículo estão marcados a letras de ouro 40 anos de experiência em restaurantes, hotéis, catering e clubes nos três estados da América e na Europa. Mas quer mais: Aos 60 anos de idade, regressa para gerir a cozinha do ‘PJ Harbour Club’, projecto do qual é co-proprietário, em Port Jefferson, na região nova-iorquina de Long Island.

Joe Guerra, como é conhecido, nasceu na freguesia de Válega, em Ovar, mas teve de acompanhar os pais quando estes emigraram. Com apenas 10 anos, Joe Guerra e a família estabeleceram-se em Jamaica, no bairro nova-iorquino de Queens – fixando-se mais tarde em Long Island. É aqui residente e membro activo da comunidade de Port Jeff com a esposa Geri. Ali criou os seus três filhos.

Depois de uma juventude a trabalhar nos negócios da família, inscreveu-se no Culinary Institute of America e formou-se. Era a sua paixão. “A minha carreira começou com o estágio e aprendizagem na Marriott Corporation e no altamente aclamado Restaurante Four Seasons, em Manhattan, en NY, sob orientação de Seppi Renggli e Hitch Albin”. Aqui lançou as bases para o que seria o seu futuro.

Passaria os seis anos seguintes na TrustHouse Forte Company, começando por agradar aos palatos dos Delegados da ONU e altos dignitários de Estados de todo o mundo.

Prosseguiu carreira com a abertura de operações do Garden City Hotel, do grupo britânico de hotelaria ‘Forte’, para quem abriu um hotel em Garden City (NY), o mesmo grupo que o enviará depois para o Algarve, “onde durante 6 meses dei treino aos chefes de cozinha do Dona Filipa Hotel, em Almancil.”

Volta à América, onde assume a cozinha do restaurante ‘Polo’, no Westbury Hotel, no Polo Club Restaurant, em Manhattan. Joe foi o primeiro a trazer a cozinha de fusão do vietnamita francês ao restaurante “Two star Can”, no Soho nova iorquino. “Cheguei a Long Island como chef de restaurantes e ‘Country Clubs’ como o “Four Star La Marmite”, “Bryant and Cooper”, “Dodici” e “Wheatley Hills GC”, “Old Westbury CC” e, finalmente, no “Cold Spring Country Club” durante seis anos, onde meus dois últimos anos foram como o Gerente Geral/CFO”.

Finalmente, foi consultor e ‘restaurateur’ para empresas de catering de alto nível e, mais recentemente, Chef corporativo para restaurantes e operações de catering do Lombardi.

Agora, volta a assinar um projecto, com o seu parceiro Mike Russell – o “PJ Harbour Club”, virado para a baía de Long Island, com capacidade para uma centena de pessoas, instalado num edifício de dois andares. Não sendo exclusivamente de cozinha portuguesa, o “PJ Harbour” tem Bacalhau Assado, Carne de Porco à Alentejana e Pastéis de Nata na ementa.

Apesar de ter saído criança de Portugal, a ligação ao país de origem é forte. “Vou lá duas a três vezes por ano, tenho casa no Algarve e no norte”, revela. Quem sabe se não estará a celebrar, em Válega, neste momento?

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo