Cultura

Companhia Paulo Ribeiro apresenta “Jim”

Seduzido pela força poética de Jim Morrison, um dos ícones mais irreverentes da década de 60, e pelo seu «An American Prayer», disco póstumo, o coreógrafo Paulo Ribeiro deixou-se conduzir pelas palavras e pela espiritualidade do músico para refletir sobre o lugar de cada indivíduo na relação com o mundo e sobre o lugar da dança.

Fiel no respeito pelo universo de Jim Morrison, mas desprendido no resgate de uma interioridade em perigo iminente, construiu uma peça alicerçada na necessidade de cada um se repensar como coletivo e de ter tempo para se ouvir.

Embebida pela vontade de romper e de transformar, a peça é habitada por sensações que se constroem e desconstroem, que orbitam em redor de uma época, de uma política, de um abandono, de uma preocupação, mas também de algo festivo e de uma Humanidade vigorosa.

Cúmplice de Morrison, mas emancipado no jogo dos corpos, Paulo Ribeiro contraria o que chama de aniquilamento interior, alimentado pelo fantasma da insustentabilidade de um mundo; provoca a apologia do coletivo e semeia alguns acidentes benévolos, feitos para a agitar a perceção de quem assiste, bem ao jeito da sua dança orgânica e ativa.”

“Jim” apresenta-se, esta noite, no Centro de Arte de Ovar, pelas 22 horas.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo