CulturaPrimeira Vista

“Concertos (in)Comuns em Lugares (in)Comuns” de regresso

Arrancam hoje os “Concerto (in)Comuns em Lugares (in)Comuns” com “How to become Nothing” no auditório do Centro de Arte de Ovar, pelas 22 horas.

Seguem-se Beatriz no Museu Júlio Dinis e Bruno Pernadas na Escola de Artes e Ofícios, às 21h30 e 23 horas, respetivamente e, no sábado, Señoritas, na Casa do Povo, Capitão Fausto na Escola de Artes e Ofícios e “You Can’t Win Charlie Brown” na Biblioteca Municipal de Ovar. São três dias com seis grandes nomes da música nacional em concertos em espaços únicos e intimistas para pequenas plateias.

Esta noite, “How To Become Nothing” junta o músico The Legendary Tigerman, a fotógrafa Rita Lino e o realizador Pedro Maia numa road trip pelo deserto da Califórnia.

Um road-movie em formato filme-concerto, com banda sonora ao vivo de The Legendary Tigerman e manipulação de imagens em tempo real de Pedro Maia. Um falso diário em super8 e fotografia, com textos de Paulo Furtado, fruto de três visões sobre a viagem de um homem que, mais do que desaparecer, procura chegar a nada, procura ser nada.

10 mar | 21h30 | Música |

Cantora e compositora de registo intimista, fresco e suave, Beatriz tece os seus temas originais no universo da pop e do jazz. na Escola de Artes e Ofícios, faz-se acompanhar por um grupo de músicos talentosos que desde cedo fazem parte do seu percurso, Beatriz apresenta agora o seu primeiro EP, “Insects”.

“Those who throw objects at the crocodiles will be asked to retrieve them” é o novo projecto do compositor/multi-instrumentista Bruno Pernadas, no qual parte de uma busca pessoal pela relação entre a mitologia egípcia no que diz respeito à adoração do crocodilo do Nilo e o comportamento humano contemporâneo ocidental.

Na Casa do Povo, poderá ver-se a continuação do seu anterior projecto “How can we be joyful in a world full of knowledge” editado em 2014 pela Pataca discos. O trabalho mais recente reúne composições criadas em 2015 e 2016 e caracteriza-se pela longa duração dos seus temas (8 a 15 minutos) com a instrumentação e sonoridade intemporal, tendo como base um processo criativo que pretendeu respeitar a composição em tempo real.

11 mar | 21h30 | Música |

“Acho que é meu dever não gostar”, é o nome do disco de estreia das Señoritas, um dos novíssimos projetos da nova música portuguesa.
Señoritas é o novo projeto de Mitó Mendes (A NAIFA) e Sandra Baptista (A NAIFA / SITIADOS). Em 2015, as Señoritas criam uma nova identidade, partilhando o gosto comum de ensaiar, compor e tocar juntas. Desta vontade, nasceram um conjunto de canções que querem partilhar com o público. São doze canções que, giram em torno de um universo feminino, tendencialmente urbano. Com uma atmosfera densa, feminina e bem portuguesa, numa abordagem singular, canta-se a vida, mas de uma forma crua e direta.
As músicas, todas originais, são da autoria da própria banda, e as exceções estão enquadradas no mesmo imaginário. Para ver na Escola de Artes e Ofícios

11 mar | 22h30 | Música |

Somos uma banda rock de Lisboa”. A simplicidade com que os Capitão Fausto se descrevem desarma qualquer um. Porque é assim que se sentem e é assim que vivem. A história de Tomás, Salvador, Francisco, Manuel e Domingos tem o seu primeiro capítulo em 2011, com “Gazela” – o Álbum de estreia.

Em 2016 são as canções de “Capitão Fausto Têm os Dias Contados” que os levam a superar todas as expectativas. Pouco mais de 30 minutos de música e palavras, em modo pop recheado de primor e requinte, que contam as estórias de vida de cada um dos Capitão Fausto, mas que são muito mais que isso, porque crescer é para todos. Não se poupam os elogios e os aplausos, que chegam em catadupa. Os Capitão Fausto “afirmam-se como a voz de uma geração”, diz quem sabe. E esta geração quer elevar a clássicos imediatos as oito canções que lhe são oferecidas.
A promessa é agora certeza e o primeiro lugar do Top nacional de vendas é uma das consequências. Na Escola de Artes e Ofícios.

11 mar | 23h30 | Música |

“You Can’t Win, Charlie Brown” foram fundados em 2009 por Afonso Cabral, Salvador Menezes e Luís Costa, passando rapidamente a sexteto com a entrada de David Santos, Tomás Franco de Sousa e João Gil. Um ano depois, editaram um EP homónimo (Optimus Discos) que abriu caminho para a estreia em disco com “Chromatic” e para uma série de concertos em salas e festivais importantes dentro e fora de portas.

Quase dois anos e meio depois da edição de “Diffraction/Refraction”, regressam com “Marrow”, o terceiro álbum de originais de onde foi extraído o tema “Above the Wall”. Este tema desvenda já um pouco do caminho seguido no novo registo do grupo, onde as tendências folk e as guitarras acústicas passaram para segundo plano, dando lugar a uma sonoridade mais elétrica e, por vezes, até mais dançável. Em Ovar, na Biblioteca Municipal de Ovar.

Consulte o programa em https://issuu.com/cmovar/docs/bochura_cili_issue_issue

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo