Opinião

Convívios em Ovar – Ricardo Alves Lopes

Temos uma cidade pequena, movida por entre curtas passadas que nos levam a todo lado. Não há a agitação do Porto, não há o aglomerado jovem de Aveiro, não há a multiculturalidade de Lisboa, ou a dinâmica de Guimarães, mas há algo diferente.

Muitas são as vezes que janto fora ao fim de semana, com amigos. A vantagem de ter muitos (e bons) amigos, o gosto de participar em diferentes actividades e de me relacionar com todas as pessoas que me criam essas sinergias, faz com que tenha muitos jantares por Ovar. É bom para a restauração, mas também é bom para mim.

A sensação de nos sentarmos numa mesa, com cinco, seis ou vinte pessoas que nos dizem algo, com quem temos oportunidade de partilhar histórias e absorver histórias, deixando o momento encarregue de criar o ambiente, é indiscritível. Poderá parecer um sobejo exagero referi-lo desse modo, mas a verdade é que sinto que não é. Nem sempre compreendemos essa dinâmica de vida no decorrer dos jantares ou aquando das conversas de café, não invalidando, contudo, que a nossa motivação para a encarar a semana seja diferente depois daqueles instantes.

Não é o copo a mais, ou a carne ou peixe diferente que comemos, é o convívio que naquele momento realizamos que nos alimenta as expectativas e motivação. E Ovar, apesar de pequeno, é rei nisso.  Em todos os jantares em que vou participando, aqui e ali, raras são as vezes em que não existe um ou outro convívio ao lado, em que não estão a jantar mais dois ou três grupos.

Não tive os jantares sempre no mesmo sítio, foi existindo sempre uma variação de locais e, ainda assim, mantenho a ideia intacta. Ovar é uma terra de convívio. As pessoas gostam de se reunir, à mesa ou em tainadas, com amigos ou conhecidos desta ou daquela circunstância. Não somos uma cidade grande, tampouco de muita gente, mas somos uma cidade que gosta de se relacionar. E isso torna-nos mais fortes, mais felizes, mais saudáveis e mais capazes de encarar o futuro com um sorriso.

Não são apenas as infraestruturas e os eventos que nos podem dinamizar, também é esta sensação de que socializando crescemos. Os de fora notarão. Ovar é uma cidade de convívio. Seja Carnaval, Natal ou Páscoa, Verão ou Inverno, o aniversário de um amigo ou o Magusto, tudo é motivo para reunir os amigos à mesa. Celebremos a vida!

Ricardo Alves Lopes (Ral)
http://tempestadideias.wordpress.com
[email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo