CulturaSlider

“Cuidar de Quem Cuida” apoia cuidadores informais do concelho

Associação Fraterna de Prevenção e Ajuda (AFPA), de Esmoriz, dinamiza o projecto

Destaques
  • O Cuidar de Quem Cuida (CQC) foi reconhecido como uma iniciativa de empreendedorismo social inovadora ao nível da intervenção junto de cuidadores informais (CI).

A Associação Fraterna de Prevenção e Ajuda (AFPA), de Esmoriz, apresenta o “Cuidar de Quem Cuida | Ovar”, um projecto que visa o atendimento individual com apoio psicológico e social, bem como a dinamização de grupos psicoeducativos – grupos de apoio para cuidadores informais do Concelho de Ovar.

O “Cuidar de Quem Cuida” é um projecto do CASTIIS – Sanguedo, promovido pela AFPA, em parceria com a Câmara Municipal de Ovar, Junta de Freguesia de Esmoriz, Centro Comunitário de Esmoriz, Unidade de Cuidados na Comunidade de Ovar, A Nossa Casa e Fundação Padre Manuel Pereira Pinho e Irmã, de Válega.

O Cuidar de Quem Cuida (CQC) promove a capacitação de técnicos/as de instituições locais para a intervenção, em rede, junto de cuidadores informais.

A 1ª fase decorreu entre 2009-2013, na região Entre Douro e Vouga (EDV), direcionada, particularmente, para cuidadores informais de pessoas com demência e pós-AVC; a 2ª fase , entre 2014-2016, considerou outros municípios da Área Metropolitana do Porto (AMP), dirigindo-se, especificamente a cuidadores informais de pessoas com demência.

Assim, entre 2009 e 2016, foram capacitados 14 municípios (Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Povoa Varzim, Vila do Conde, Trofa, Santo Tirso, Maia, Paredes, Gondomar, Porto, Vila Nova de Gaia e Espinho).

Entre 2016 a 2019 o CQC continuou a dar resposta aos cuidadores informais que solicitaram apoio diretamente ou através dos parceiros envolvidos na implementação do projeto nos municípios. Desde o início do projeto até 2018, foram acompanhados cerca de 700 cuidadores informais.

Esta possibilidade advém do potencial de sustentabilidade da iniciativa, uma vez que a sua implementação depende da mobilização dos recursos já existentes no território. Depois da capacitação das redes pela equipa do projeto, os municípios tornam-se autónomos na intervenção.

O objetivo central desta nova fase, que decorre entre abril de 2019 e Abril de 2022, é o de replicar a iniciativa em mais municípios da zona norte do país. Destaca-se o potencial de transformação social do projeto, dado que envolve instituições/técnicos da rede local.

Pretende-se capacitar as equipas da rede local na implementação de respostas de apoio a cuidadores informais, alargando-se o público-alvo final da intervenção.

Nesta fase, o projeto é promovido pelo CASTIIS, tendo como investidores sociais a Fundação Calouste Gulbenkian e o Grupo José Mello Saúde e como parceiros a ACSS, a MAZE e o CINTESIS .

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo