Cultura

“Cyrano de Bergerac” estreou no sábado e vem ao CAO em Novembro

A peça “Cyrano de Bergerac”, de Edmond Rostand, estreou com 38 atores, no palco do Maria Matos, em Lisboa, com encenação de Bruno Bravo, numa coprodução da associação Primeiros Sintomas e daquele Teatro Municipal.

Em declarações à Lusa, Bruno Bravo afirmou que esta “é uma peça quase impossível de se fazer em palco, porque envolve muitas personagens, tem cenas de guerra e um aparato cénico muito grande” .

O encenador disse que a base do seu trabalho “foi, fundamentalmente, a partir das três personagens principais, Roxane, Cristiano e o Cyrano de Bérgerac”.

“Esta peça vai ser também uma experiência muito auditiva, pois há muitos coros e as personagens não usam um figurino de época, mas optou-se por ir ao encontro da intemporalidade da peça”, afirmou.

“Esta é uma peça que se passa no século XVIII, mas que foi escrita no século XIX, numa altura em que já ninguém escrevia assim. É o paradigma da peça não datada”, disse.

“É um texto lindíssimo, essencialmente romanesco e sem referências políticas, sociais, mas muito bem escrito, muito acessível”.

O cenário e figurinos são de Stéphane Alberto, o desenho de luz, de André Calado, e a composição musical, de Sérgio Delgado.

O elenco é constituído por António Mortágua, Carolina Salles, Eduardo Breda, Miguel Sopas, Paulo Pinto, Ricardo Neves-Neves, Sofia Vitória, Ana Vilela da Costa, Diogo Garcia, Joana Campelo, João de Brito, João Pedro Dantas, José Leite, José Mata, Lia Carvalho, Ricardo Foz, Sandra Pereira e ainda 20 atores/amadores escolhidos, na região de Lisboa.

“Cyrano de Bergerac” está em cena no Maria Matos até 12 de outubro, seguindo depois em digressão. Em cada uma das localidades onde sobe à cena, serão escolhidos 20 atores para se juntarem à companhia, depois de um “workshop” com o encenador, disse Bruno Bravo à Lusa.

Depois de Lisboa, a peça de Rostand, escrita em 1897, sobe à cena em Guimarães, no Centro Cultural Vila Flor, no dia 25, em Torres Novas, no Teatro Virgínia, no dia 08 de novembro, em Ovar, Centro de Artes local, no dia 22 de novembro, em Viseu, no Teatro Viriato, nos dias 12 e 13 dezembro, e em Ponta Delgada, no Teatro Micaelense, no dia 10 de janeiro.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo