CarnavalSlider
Em Destaque

Um guia para o Carnaval do Rio que vai mesmo acontecer

Carnaval na Sapucaí acontece nos dias 22 e 23 de abril

Vai haver mesmo Carnaval na Sapucaí em 2022! Nos dias 22 e 23 de abril, o Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro vai desfilar no sambódromo após dois anos de Pandemia e nós vamos estar a ver.

Durante esse fim de semana carnavalesco, as agremiações cariocas prometem muito samba e alegria.

Para o público saudoso dos desfiles e que não vê a hora de conferir as festas das escolas cariocas na avenida, vamos saber quais são os principais enredos do campeonato. Escolha uma para torcer e sambar neste ano atípico!

Declaração de amor ao Carnaval 

O Grupo Especial estava com saudade da folia e isso é possível notar pelos temas dos sambas-enredo. Pelo menos três falam do samba e de figuras célebres do Carnaval.

A Viradouro quer levar à Sapucaí o alívio de sobreviver aos anos de pandemia do coronavírus. A agremiação de Niterói pretende declarar o deu amor ao Carnaval e fazer um paralelo com outra pandemia: a da gripe espanhola, em 1919. A carta de amor fala do reencontro com a avenida, relembrando o dia 5 de março de 1919. O Carnaval de 1919 foi o primeiro após a Primeira Guerra Mundial e após a pandemia da gripe espanhola, que deixou 50 milhões de mortos.

A quarta-feira de cinzas do Carnaval daquele ano foi justamente no dia 5 de março. No ano seguinte, o Rio de Janeiro teve três meses de folia para comemorar o fim da guerra e da peste. A Viradouro pretende recriar o clima da cidade na época.

A Mangueira vai olhar para a própria trajectória e levará para a avenida a história e levará para a avenida a história de ‘Agenor, José e Laurindo’, mais conhecidos como Cartola, Delegado e Jamelão. O samba traz a história da escola de samba, fundada em 1928, e irá homenagear, respectivamente, o maior compositor da Mangueira, o maior mestre-sala do carnaval carioca, e o cantor que deu voz aos sambas da Mangueira durante 57 anos.

Além disso, a escola quer mostrar que os ‘Reis do Carnaval’ ajudaram a construir no morro o solo da Mangueira. Cartola era pedreiro, Jamelão lustrava sapatos e Delegado vendia jornais.

Já a Vila Isabel vai homenagear outra figura célebre do samba: o nosso conhecido Martinho da Vila. Com referências aos temas mais famosos do cantor, o enredo quer mostrar a história do sambista, presidente da escola, que se dedica à agremiação desde 1965.

A Imperatriz Leopoldinense levará uma homenagem a Arlindo Rodrigues na Sapucaí. O cenógrafo, figurinista e carnavalesco da escola, morreu em 1987, vítima de Sida. Com a escola, trabalhou em quatro enredos diferentes e foi campeão em dois anos seguidos com a escola, em 1980 e 1981.

Homenagem à Paulo Gustavo

A São Clemente trará uma homenagem ao humorista, morto em 2021 na sequência de complicações da Covid-19. Paulo Gustavo ganhou o enredo ‘Minha Vida é Uma Peça’, que faz referência a grandes trabalhos da carreira do artista, como ‘Vai Que Cola’, ‘220 Volts’ e a trilogia ‘Minha Mãe É Uma Peça’. A letra relembra personagens do artista, como Dona Hermínia, Juliano e Marcelina.

No enredo, a escola também relembra o relacionamento entre Paulo Gustavo e o médico Thales Bretas, além de mencionar os dois filhos, Romeu e Gael. Nesta parte do enredo, a agremiação também fala da comunidade LGBTQIA+ e como o humorista levava a vida e a profissão.

No desfile, a família vai entrar como destaque. Déa Lúcia, mãe do actor, está pronta para o desfile e já disse que vai se emocionar na avenida. Thales Bretas, Ju Amaral e outros familiares também entrarão na Sapucaí. Além da família, amigos como Marcos Majella, Samantha Schmutz e outros foram convidados para desfilar.

Resistência política

A Salgueiro escolheu o enredo ‘Resistência’ e trará para a avenida lugares de força negra no Rio de Janeiro.

No enredo, a escola pede por igualdade, a ‘luta contra a mordaça’, a força da favela e do quilombo. A Salgueiro também cita a violência policial e a resistência dos negros na cidade.

A Paraíso do Tuiuti também escolheu cantar histórias de luta e resistência negra, olhando para o passado e o resgatando o conhecimento ancestral dos negros no Brasil. O desfile também pretende traçar um paralelo com orixás de religiões de matriz africana, como Olodumarê, Orunmilá, Exú e Oxalá.

Orixás também presentes

Os deuses adorados em religiões de matriz africana também estarão representados na avenida. Além da Paraíso do Tuiuiti, três escolas cantarão histórias sobre orixás de religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé.

A Mocidade Independente de Padre Miguel vai homenagear Oxóssi, reverenciando a história da escola. O ‘Batuque ao Caçador’ fala do padroeiro da escola, desde o tráfico de negros para o Brasil e as origens do orixá nas casas e terreiros de candomblé e umbanda, na casa de Tia Chica, dona do terreiro onde surgiu a Mocidade.

Já a Grande Rio vai abordar os caminhos de Exú. A agremiação quer desmistificar o orixá na avenida, que é visto de forma negativa por parte da população. O objetivo da escola é mostrar que Exú é caminho, sabedoria e prosperidade. Além disso, a Grande Rio faz reflexão da intolerância religiosa com religiões de matriz africana.

A Portela leva para a Sapucaí o Baobá, árvore que para o povo negro representa a luta e religiosidade do povo no Brasil. A ‘árvore-da-vida’ será cantada pela escola, com a simbologia das árvores milenares que são a conexão entre o plano superior e os homens. A escola faz um paralelo entre a semente do Baobá com a força negra na diáspora africana.

Celebridades na avenida

Como sempre, muitas celebridades vão brilhar na Sapucaí no fim de semana. Gabi Martins irá defender a Vila Isabel, junto de Sabrina Sato, que será rainha de bateria da escola no mesmo dia que irá defender a Gaviões da Fiel, em São Paulo. Pela Grande Rio, Paolla Oliveira, Camilla de Lucas, Pepita, Mel Maia, David Brazil, Adriana Bombom, Gil do Vigor e Bianca Andrade serão destaques da escola.

Viviane Araújo será rainha de bateria da Salgueiro mais uma vez e desfilará grávida. Na escola, ela será acompanhada por Babu Santana, Sandra de Sá, Roberta Rodrigues e Dandara Mariana. A Imperatriz Leopoldinense terá a cantora Iza como rainha de bateria e Hariany Almeida como destaque. A Viradouro garantiu Érika Januza no posto de rainha de bateria, enquanto a Unidos da Tijuca escolheu Lexa. A São Clemente trará Thelma Assis, campeã do “BBB 20”, como destaque no desfile.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo