Opinião

Esclarecimento da Câmara Municipal sobre o Festival de Pão-de-Ló

– Razões para a não realização do Festival de Pão-de-Ló de Ovar, organizado pela CMO em parceria com a APPO e as Confrarias Gastronómica e do Pão-de-Ló de Ovar:

Constatando a CMO que tem havido muita desinformação relativamente à não realização do Festival de Pão-de-Ló, tradicionalmente organizado pela CMO em parceria com a APPO – Associação de Produtores de Pão-de-Ló e mais recentemente com as Confrarias Gastronómica e do Pão-de-Ló de Ovar, a Câmara Municipal de Ovar vem apresentar o devido esclarecimento, tendo em vista a reposição da verdade.

O actual executivo Municipal, desde que tomou posse, assumiu-se como parceiro de excelência quer da APPO – Associação de Produtores de Pão-de-Ló de Ovar, quer da entretanto criada Confraria do Pão-de-Ló de Ovar (cuja constituição a autarquia fomentou e apoiou em conjunto com a APPO), aliás como demonstram os Protocolos assinados.

Assim, logo no início deste mandato, em 2014, a Câmara Municipal de Ovar, sempre em parceria e coordenação com a APPO, organizou um grande Festival de Pão-de-Ló, investindo mais de 30 mil euros e apresentando um animado programa cultural para diversificados públicos e tendo ainda efetuando uma parceria estratégica com a SONAE MC para a divulgação do nosso ex-libris gastronómico junto da rede de supermercados.

No ano seguinte, em 2015, a APPO, com quem a CMO manteve um diálogo estreito, manifestou a intenção de levar o Festival de Pão-de-Ló para a Praia do Furadouro, em plena época alta, na perspetiva de poder usufruir da procura que este espaço-praia detém. Acedendo a esta pretensão e argumento, a CMOvar fez, então, integrar uma Mostra de Pão-de-Ló de Ovar no evento FURA, programa de animação da praia do Furadouro. Apesar do balanço ter sido positivo, designadamente ao nível das vendas, a APPO entendeu que a projeção obtida não era a expectável, tendo a mostra ficado diluída no rol de eventos promovidos pelo FURA.

Ora em, Outubro de 2015, a APPO, a Confraria do Pão-de-Ló de Ovar e a Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar apresentaram à Câmara Municipal de Ovar um esboço de um projeto, arrojado e ambicioso, para a realização de um Festival Gastronómico, que englobaria a Doçaria Regional e o Pão-de-Ló. Após esta reunião, o presidente da APPO ficou de apresentar à autarquia um plano mais completo com inclusão do respetivo orçamento para a realização daquele evento que, segundo os promotores e em particular a APPO, seria um virar de página na promoção gastronómica e do Pão-de-Ló de Ovar no nosso concelho.

Acontece que o projeto com o referido orçamento nunca chegou a ser apresentado à CMOvar e, em março deste ano, a Câmara recebeu um ofício, assinado pelo Presidente da APPO, a informar que “não estavam criadas as condições mínimas de sucesso para se levar a efeito o Festival Gastronómico previsto para este ano”, conforme decisão das duas Confrarias e da APPO. Adiantando que “não se atribui responsabilidades a quem quer que seja, mas a realização de um evento desta natureza, e nos moldes previstos, implica tempo, e de facto o tempo que nos separa da data prevista aconselha a prudência e cautelas”. No mesmo documento, o presidente APPO informa que “mandatámos o Sr. Adérito Ferreira (chanceler da Confraria do Pão-de-Ló) para marcar reunião com Sr. Vereador afim de transmitir essa decisão e os motivos que estiveram na sua origem”.

Ainda no mesmo email, é apresentada a proposta de realização do Festival de Pão-de-Ló aquando do Festival Literário de Ovar. No entanto, a CMOvar entendeu não haver condições para a realização em simultâneo dos dois eventos por razões sobretudo de ordem logística.

A Câmara Municipal de Ovar, como habitualmente e numa perspetiva de parceria pró-ativa, em reunião com o Chanceler da Confraria (devidamente mandatado para o efeito e sendo a Confraria a entidade responsável para promover e divulgar o Pão-de-Ló, de acordo com os seus estatutos), disponibilizou um conjunto de iniciativas com vista à divulgação do Pão-de-Ló de Ovar, de que se destacam:

-Participação na 624ª edição da Feira de S. Mateus, em Viseu, a mais antiga Feira da Península Ibérica, com registos de um milhão de visitantes. A CMOvar, que vai marcar presença nesta feira, pretende divulgar o nosso território, com especial enfase no Carnaval de Ovar e, obviamente, com o intuito de também divulgar o Pão-de-Ló com o objetivo de atingir um mercado externo, como sempre foi, tal como nos tem sido transmitido, o desiderato da APPO.

– A integração de uma Mostra de Pão-de-Ló, à semelhança do ano anterior, na programação do Furadouro, mas com perspetivas de aperfeiçoar alguns aspetos, de forma a dar mais destaque e notoriedade ao Pão-de-Ló.

– A realização do Festival do Pão-de-Ló aquando do FIMO, em Parceria com a União de Freguesias, assumindo a Câmara Municipal todas as questões de ordem logística, de comunicação e divulgação.

Ora destas propostas, as duas primeiras foram rejeitadas pela APPO e pelas Confrarias Gastronómicas de Ovar e do Pão-de-Ló de Ovar e a terceira não teve acolhimento pela União de Freguesias de Ovar, S. João, Arada e S. Vicente de Pereira Jusã, responsável pela organização do FIMO.  No entanto, a Câmara Municipal, por considerar uma oportunidade única a participação do Pão-de-Ló, conjuntamente com uma amostra do Carnaval, na Feira de S. Mateus, em Viseu, ainda não deu este assunto por concluído e vai continuar a envidar esforços para a sua concretização.

Foi realizada nova reunião entre as partes, e como decorre do Plano de Atividades da APPO para 2016 a realização de uma Mostra na cidade Esmoriz, o Chanceler da Confraria do Pão-de-Ló de Ovar sugeriu a sua realização aquando do Festival da Barrinha. A CMOvar de imediato diligenciou junto da Junta de Freguesia de Esmoriz, no sentido de se organizar o evento, disponibilizando 10 stands para os produtores, um para a Confraria e outro para demostrações ao vivo, bem como toda a logística e comunicação associadas. Duas semanas mais tarde, a Confraria do Pão-de-Ló informou a Câmara Municipal de Ovar que a APPO não tinha obtido quórum para a realização do evento, conseguindo apenas reunir dois produtores.

No passado dia 10 de maio, a Câmara Municipal de Ovar foi novamente notificada pela APPO, que informava que “Deixou de haver interesse na realização de qualquer iniciativa.” Exatamente na mesma data, a APPO, anunciou na sua página do facebook a decisão, que presumimos tomada colegialmente pela respetiva direção, de “o início duma nova parceria com a União de Freguesias de Ovar, S. João, Arada e S. Vicente Pereira Jusã, com vista à promoção do Pão-de-Ló de Ovar”, facto que Câmara Municipal regista com alguma pena, mas com o qual se regozija, pois é através de parcerias e sinergias que conseguiremos elevar o Pão-de-Ló de Ovar.

Face ao exposto, a Câmara Municipal afirma rejeitar qualquer responsabilidade para a não realização do Festival de Pão-de-Ló, em coorganização com APPO e as Confrarias do Concelho, sendo de sublinhar todo o empenho, trabalho e dedicação feito em prol do Pão-de-Ló, por esta autarquia e seus profissionais, desde o início do processo de qualificação do produto, processo que foi inclusive impulsionado pelo próprio município.

Acresce ainda que, o atual executivo tudo tem feito para promover e divulgar o Pão-de-Ló de Ovar como o ex-libris gastronómico do concelho: Divulgámos o Pão-de-Ló com provas de degustação na FITUR – Feira Internacional de Turismo de Madrid, na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, nos vários programas de televisão que participámos, levámos o Pão-de-Ló a Pithiviers – cidade francesa geminada com Ovar, incluímos nas Visitas Guiadas Turísticas promovidas pelo Município a visita a espaços de produção e, ainda, no Carnaval de Ovar 2016, o Pão-de-Ló foi um dos nomes maiores, tendo sido dado o cognome ao Rei de D. João – O Pão-de-Ló de Ovar, com distribuição de miniaturas de Pão-de-Ló no Corso – através de uma parceria com a Confraria do Pão-de-Ló.

Assim, por tudo o acima exposto, fica claro que a tentativa de imputação de responsabilidades à CMOvar pela não realização do evento “Feira do Pão-de-Ló”, é abusiva, não correspondendo à verdade dos factos, e só pode resultar da má interpretação ou informação de quem representa a classe dos produtores do Pão-de-Ló.  Da nossa parte, contudo, e porque mantemos o respeito pelos associados da APPO, considerando-os pessoas de bem, continuamos a querer pensar que tal ação, ou omissão, não terá surgido por intencional má-fé, o que contrariaria em definitivo os interesses da defesa do nosso Pão-de-Ló, mas provocada por uma avaliação incorreta e precipitada de toda esta situação.

Reafirmamos, como temos feito e demonstrado, que o Pão-de-Ló de Ovar é o produto gastronómico por excelência do concelho e a Câmara Municipal de Ovar continuará, individualmente ou em parcerias com as Confrarias e/ou APPO, a querer promover este produto que é “nosso”. E que faz parte da nossa identidade.

Câmara Municipal de Ovar (09-06-2016)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta